domingo, dezembro 16, 2012

Corinthians é bicampeão mundial!

Parabéns, Corinthians! Com duas vitórias por 1x0 e gols do peruano Guerrero, o Corinthians sagrou-se campeão mundial no Japão.  Esse título somado ao de 2000, contestado porque nesse ano quem ganhou no Japão foi o Boca Juniors, faz do Timão o novo bicampeão do mundo.  Com méritos, da mesma forma que venceu o Boca na atual Libertadores.
Confesso que fiquei em dúvida quanto a quem torcer.  Mas fiquei neutro durante todo o jogo e, no final, achei justíssima a vitória corintiana.  Para a história não importa quem jogou melhor; importa quem venceu.  De goleada. Ou de pênalti. Ou de um gol em impedimento aos 45 minutos do segundo tempo.  Não importa.  O que vale é bola na rede.  E a vitória.  E convenhamos, sendo brasileiro, qual o sentido de torcer por um time inglês? Aliás, qual o sentido de torcer contra um time brasileiro? Ou um time com a maioria de brasileiros?  Faz algum tempo que discordo da maioria que se delicia com a derrota do time do vizinho.  Isso, como se diz vulgarmente, é gozar com o pau dos outros.  As pessoas deveriam torcer apenas por seus próprios times. E, numa situação dessas, quando somos representados pelo time do vizinho contra outro de fora, se não formos simpáticos aos compatriotas, pelo menos não torçamos contra.  Afinal, qualquer vitória brasileira é boa para o nosso futebol.
Não fiquei propriamente feliz pela conquista corintiana, mas reconheço que o Timão mereceu vencer. E não tenho o menor despeito disso.  Como se diz vulgarmente, a inveja é uma merda.

sábado, dezembro 15, 2012

A saudade dos velhos tempos e o Android


Meu primeiro microcomputador foi um TK-85, clone do Sinclair ZX81 nos anos 80.  Com ele dei meus primeiros passos em BASIC, chegando mesmo a me aventurar na linguagem de máquina do microprocessador de 8 bits Zilog Z80.  Ainda o tenho, mas não consigo ligá-lo mais. Infelizmente ainda não achei quem conserte o meu velho TK – ele tem 27 anos!  Já tive alguns emuladores do ZX-81 no PC – o EightyOne roda no Windows 7.  Mas hoje instalei o Zed Ex no meu Android 3.2 e já rodei alguns joguinhos baixados de “ZX81 The Archive P Files” e curti aquela saudade...

sábado, dezembro 08, 2012

Cerveja e temperatura

O verão já chegou, antes de seu solstício, e ficaram quase irresistíveis um chopinho ou aquela cerveja adequada para "molhar as palavras", como dizia um amigo.  No entanto, quando ouvimos alguém dizer que vai querer uma cerveja estupidamente gelada, não comentamos por educação, mas pensamos: quanta estupidez!   Isso porque cada cerveja, geralmente dependendo de sua cor, tem a temperatura adequada para ser bebida, mas nunca e sob nenhuma circunstância abaixo de zero (0 °C).
Confira a temperatura adequada para cada tipo de cerveja no RaterBeer.com.  Faz 27°C agora em São Bernardo, mas estou apreciando uma pilsen da DAMA a 5°C e está uma delícia!  E é justo mencionar que a adquiri na Cachaça é Presente agora, há pouco.  Falando nisso, você sabia que a pilsen, pilsener ou pils tem origem na cidade com mesmo nome na Boêmia (República Checa)? A mundialmente famosa cervejaria Pilsner Urquell fica lá, a 5 minutos a pé da estação central.

quarta-feira, dezembro 05, 2012

Corrupção no Brasil

A Transparência.org divulgou o relatório anual sobre a corrupção no mundo. O nosso país obteve a melhor nota (43) desde que o ranking começou a ser divulgado (2001), e foi suficiente para superarmos a Itália. Claro que a Itália não pode ser um bom exemplo, mas nós avançamos um pouco.  Como já se disse, talvez o mal informado pense que hoje haja mais corrupção por conta da campanha oposicionista do PiG, mas acontece que hoje a PF tem uma liberdade inédita, o que não ocorria no governo demotucano de FHC, época não saudosa do engavetador geral da república, lembra?

quinta-feira, novembro 22, 2012

MSX para sempre

Não tenho mais aquele MSX turbinado do fim dos anos 80, mas apenas alguns jogos recuperados de disquetes lidos pelos diversos PC's que vieram depois e,claro, muita saudade.  Para minha boa surpresa, ao procurar por aplicativos para Android, encontrei o emulador fMSX.  Logo após instalá-lo, gravei os jogos num cartão micro SD para rodá-los no tablet.  E tudo funcionou perfeitamente.  Veja uma amostra no filminho a seguir:


O King's Valley é o meu game preferido da KONAMI, mas há muitos outros disponíveis e mais populares, não só para MSX como também para diversas plataformas.   Mas não esqueça de instalar primeiro o emulador adequado.
Ah, não conte para ninguém, mas veja a raridade que reencontrei: http://www.angelfire.com/id/luizmoura/index2.html,

domingo, novembro 18, 2012

John Carter – Entre Dois Mundos

Faz tempo, uns meses, que estou para comentar sobre “John Carter – Entre Dois Mundos” (John Carter, 2012), filme que vi no cinema, por sugestão de um amigo. Logo nas primeiras cenas dá para notar a semelhança com a série “Guerra nas Estrelas” (Star Wars, 1977, 1980, 1983, 1999, 2005). E por que não dizer também com a série “Indiana Jones” (1981, 1984, 1989, 2008)? Não sei se George Lucas admitiu que foi influenciado por Edgar Rice Burroughs, mas James Cameron o fez, ao comentar sobre “Avatar” (2009).
O fato concreto é que Burroughs, criador de John Carter e Tarzan, influenciou praticamente toda a ficção científica do século XX e até hoje. Contemporâneo de H.G. Wells, ele influenciou as obras de escritores renomados como Arthur Clarke (2001: Uma Odisséia no Espaço, 1961), Ray Bradbury (Fahrenheit 451, 1953) e Carl Sagan (Cosmos, 1980, não-ficção). Superman, Flash Gordon, Star Trek (“Jornada nas Estrelas”) e Babylon 5 são mais alguns exemplos de séries e filmes contendo referências a Burroughs.
Apesar do fracasso de bilheteria de mais um filme sobre Marte, acho que vale a pena vê-lo e principalmente ler os livros da série Barsoom. Aliás, a Editora Aleph já publicou três títulos deles em português: “Uma Princesa de Marte” (2010), “Os Deuses de Marte” (2012), e “O Comandante de Marte” (2012).

domingo, outubro 28, 2012

O espelho chamado de Facebook


Amanhã (daqui a pouco), após a festa da vitória do Haddad vou tentar não freqüentar mais o Facebook. Isso aqui virou uma espécie de Orkut reloaded. Haverá atualizações, mas oriundas do Twitter (@lcmoura) e do Blogger (http://lcmoura.blogspot.com/). Da mesma forma que comentei há 5 anos atrás (http://lcmoura.blogspot.com.br/2007/08/momento-de-reflexo.html), os momentos de mobilização popular (referendos, plebiscitos, eleições) são divisores de águas. De acordo com Mateus, "...estando dois homens no campo, será levado um e deixado outro; estando duas mulheres a trabalhar no moinho, será levada uma e deixada a outra". E "...vim causar divisão; o homem contra seu pai, e a filha contra sua mãe... os inimigos do homem serão pessoas de sua própria família".
A diferença entre o Facebook e o Twitter é que aqui a gente não escapa de colegas, amigos, parentes e familiares com quem a gente "curte e compartilha" abismos ideológicos. Devo ter decepcionado muita gente e me decepcionei com alguns por motivo de fé. A verdadeira proximidade não está ao lado, mas quase sempre muito distante - bem, nem tanto, em tempos de Internet.
Não há motivo para brigas, ofensas, ressentimentos. Mas o melhor é evitar a dissensão, em nome da tolerância, a uma distância segura.
Por isso há partidos. Dos crédulos. Dos cépticos. Dos conservadores. Dos progressistas. Dos reacionários. Dos inovadores; dos subversores. Dos que se arrastam. Dos que voam. O ideal é buscar o próximo. Nessa acepção.
Não há melhor.  Nem pior.  Há diferenças.
Viver é fazer escolhas!

sexta-feira, outubro 12, 2012

Eleições municipais - quem venceu?

Russomanno, que aparecia em primeiro lugar em todas as pesquisas, caiu tanto que ficou de fora da disputa do segundo turno em São Paulo. Serra virou com apenas 2 pontos porcentuais à frente de Haddad, 31% a 29%.
O PT reelegeu-se em Goiânia e disputa o segundo turno com aliados em Fortaleza (PSB) e Cuiabá (PSB); e contra a direita em Salvador (DEM), Rio Branco (PSDB), João Pessoa (PSDB) e, claro, São Paulo (PSDB). O PSOL disputa em Macapá com o PDT e contra a direita (PSDB) em Belém. O PCdoB também disputa contra a direita (PSDB) em Manaus. O PDT venceu em Porto Alegre, e disputa em Curitiba e Natal (, além de Macapá, com o PSOL). O partido da moda, o PSB, venceu em Recife e Belo Horizonte, e disputa também em Porto Velho (além de Fortaleza e Cuiabá, com o PT).
A direita venceu apenas em Maceió (PSDB) e Aracaju (DEM) e disputa autofagicamente em Vitória (PSDB x PPS).
Apesar da contrapropaganda efetuada pela mídia golpista e do julgamento casuístico da Ação Penal 470 (o “mensalão”, para a mídia) o PT perdeu de si mesmo e de aliados (Belo Horizonte, Recife e Porto Alegre).
Em relação aos vereadores eleitos, o PT é o campeão nas capitais e nas cidades com mais de 200 mil eleitores, tendo em geral um crescimento de 22%, enquanto o PSB cresceu 18%. Aliás, PT e PSB disputam a prefeitura de Campinas. A direita, por outro lado, está em queda livre com PSDB (-13%), PPS (-16%) e DEM (-33%).
Em São Paulo, para o segundo turno, as primeiras pesquisas já apontam Haddad dez pontos à frente de Serra. Então, aos conservadores e reacionários só resta o orgasmo causado pela condenação sem provas de Genoíno e Dirceu. Eu estava errado quando temia que nós, progressistas, sairíamos destas eleições derrotados e humilhados.

domingo, setembro 23, 2012

A eleição em São Paulo e a autocrítica que precisamos

Todos os institutos de pesquisa indicam o favoritismo de Celso Russomanno (PRB) na disputa pela prefeitura da capital paulista, tanto no primeiro como no segundo turno. O segundo lugar é uma disputa acirrada e um empate técnico entre José Çerra (PSDB), o Zé Chirico, e Fernando Haddad (PT).
Vamos analisar as possibilidades.
Caso Çerra passe ao segundo turno, a vitória da direita estará garantida, já que o Zé Chirico é o candidato “de esquerda” da direita, da revista Veja, da Globo (incluindo aí o jornal Globo, a rádio CBN, a revista Época), e dos jornais Folha e Estado. Como Russomanno é o plano B da direita, da TV Record, da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) e dos malufistas, provavelmente haverá uma espécie de autofagia. A tendência é a vitória dessa facção, mas haverá muita baixaria, a julgar pelo que disse Ciro Gomes em 2010: “as campanhas de Serra têm como características a violência, a traição, a rasteira, o jogo sujo e o jogo baixo”.
Para o PT, ficará claro que Lula errou ao vetar as prévias e bancar Haddad, a contragosto de Marta Suplicy. E errou mais ainda ao solicitar o apoio de Maluf, contrariando Luisa Erundina. O voto malufista está sendo transferido para Russomanno, cria de Maluf, e não para Haddad. Como o PRB faz parte da base aliada, no âmbito federal, é certo que o PT apoiará Russomanno e talvez seja aquinhoado com um pedacinho do poder municipal.
José “Zé Chirico” Serra, ao não perder já no primeiro turno, ganhará algum fôlego para a disputa em 2014, sem ter que largar eventual mandato de prefeito em apenas dois anos. Será outra dor de cabeça para Alckmin “Picolé de Chuchu” da Opus Dei, candidato do jornal Estado de S.Paulo, e Aécio “Aébrio Never” Neves, candidato do jornal Estado de Minas.
Caso Haddad passe ao segundo turno, Çerra será humilhado e perderá forças para a disputa de 2014. No entanto, será muito difícil vencer, já que São Paulo tem uma grande inclinação conservadora, como destaca a Folha de hoje: “Inclinação conservadora em São Paulo impulsiona Russomanno”, numa análise bem interessante. Santa Catarina, Paraná e São Paulo, nessa ordem mesmo, são redutos do voto conservador, que é predominante no Brasil, como já mostrava a Folha em 2006: “47% do eleitorado diz ter posição política de direita”. Aliás, a revista Época, da Globo, já tinha publicado uma entrevista com André Singer demonstrando que o brasileiro é de direita.
Outro fator que pesará para a derrota de Haddad será a afinação intencional dos calendários da campanha eleitoral e do julgamento da Ação Penal 470, que o PiG faz de conta que foi o único ou o principal mensalão. A tendência é que o eleitor pouco ou mal informado, infelizmente a maioria, puna o PT por ter-se tornado um partido igual aos outros depois que chegou ao poder. Nós, petistas, e os democratas e os socialdemocratas de verdade sairemos dessa eleição divididos, derrotados e humilhados. Sim, porque fizemos demasiadas concessões aos conservadores. E, como na fábula de Orwell, o resultado disso é que “já se tornou impossível distinguir quem é homem e quem é porco”.

sexta-feira, setembro 14, 2012

Liberdade de expressão e atentado à fé alheia

Não é novidade alguma que Hollywood é instrumento de colonialismo cultural a serviço do imperialismo ianque. E também não é novidade a vilificação que Hollywood faz dos árabes e dos muçulmanos de qualquer etnia, como demonstra o Dr. Jack Shaheen no documentário de 50 minutos "Filmes Ruins, Árabes Malvados: Como Hollywood Vilificou um Povo" (Reel Bad Arabs: How Hollywood Vilifies a People, 2006), que pode ser visto em http://www.youtube.com/watch?v=DmVoSZk_fvo
O cinema americano tem-se prestado ao papel de propaganda difamatória de diversos outros povos ao longo de sua história, como os hispânicos e latino-americanos, especialmente os mexicanos, os alemães, os japoneses etc.
Há dois dias o filme "Inocência dos Muçulmanos"(Innocence of Muslims) provocou uma revolta de muçulmanos radicais que culminou com o assassinato do embaixador Christopher Stevens e mais três funcionários do consulado americano em Benghazi, na Líbia. O filme satiriza Maomé e ridiculariza a fé islãmica. Seu autor e diretor foi identificado inicialmente como sendo Sam Bacile, israelense-americano que considerava o Islã um "câncer" e que arrecadou dinheiro de doadores judeus para gravar seu filminho B, ainda disponível no YouTube. Depois veio a notícia de que seria um produtor chamado Nakoula, cristão copta (egípcio). Seja lá quem for, judeu ou cristão, o irresponsável está desaparecido, talvez protegido pela polícia americana. Enquanto isso os protestos se alastram por diversos países islâmicos e o número de mortos já dobrou: até este momento se tem notícia de oito mortes.
Uma das pessoas que comentam o filme, no YouTube, lembrou da seguinte frase do físico Steven Weinberg: "A religião é um insulto à dignidade humana. Com ou sem religião, você teria pessoas boas fazendo coisas boas e pessoas más fazendo coisas más. Mas para pessoas boas fazerem coisas más, aí é preciso religião". Perfeito. Lembra-me o escritor português José Saramago, a quem perguntaram: "Como podem homens sem Deus, serem bons?". E ele respondeu: "Como podem homens com Deus, serem tão maus?"
Mas, num momento em que o governo sionista de Israel ameaça atacar o Irã, porque só os "eleitos" podem ter armas de destruição em massa e promover genocídios como Hiroshima e Nagasaki, há esperança no mundo quando vemos este tipo de manifestação: "Nós te amamos - Irã e Israel".

segunda-feira, setembro 10, 2012

Paraolimpíada de Londres 2012

Ontem, domingo, terminou mais uma paraolimpíada e o Brasil atingiu a meta ficando em sétimo lugar, com recorde de medalhas de ouro (21). Superamos o tradicional Canadá, ficando atrás apenas dos Estados Unidos em toda a América! Aliás, já em 2004 (Atenas) e 2008 (Pequim) apenas Estados Unidos e Canadá ficaram à nossa frente, entre os países da América. Em 2000 (Sidnei) fomos superados também pelo México, e em 1996 (Atlanta), pelo México e por Cuba.
Veja na tabela a seguir como foi nosso desempenho nos últimos 16 anos:

city year gold silver bronze total ranking
London 2012 21 14 8 43 7
Beijing 2008 16 14 17 47 9
Athens 2004 14 12 7 33 14
Sidney 2000 6 12 10 28 24
Atlanta 1996 2 6 13 21 37


Este ano foi nossa melhor participação, exceto pelo total de medalhas - 43 contra 47 de Pequim 2008. Obtemos em medalhas de ouro o equivalente a todas as medalhas conquistadas em Atlanta 1996 (governo FHC, cuja "jestão" era só propaganda).
Mas para os urubólogos de plantão, nosso desempenho não é suficiente e passaremos vergonha no Rio em 2016! Despeito faz mal, gente mal-informada. Aliás os derrotados, reproduzindo o PiG, insistem em chamar as paraolimpíadas de paralimpíadas, já percebeu? Como disse o professor Pasquale: quanta bobagem e submissão!

domingo, agosto 26, 2012

Bonito é lindo!

Bonito, com população de 20 mil habitantes, fica a cerca de 300 km de Campo Grande, Mato Grosso do Sul. Situa-se num dos vales do Planalto da Bodoquena, que há milhões de anos deve ter sido o fundo do “Mar de Corumbá”, a julgar pelas diversas grutas, cavernas e dolinas de rochas calcáreas.
O Abismo Anhumas é considerado o melhor passeio (e mais caro) da região, onde se pratica rapel e mergulho. Não consegui agendar a tempo, mas consegui ver a lindíssima Gruta do Lago Azul e também a Gruta de São Miguel.
Outro passeio imperdível é a flutuação, que pode ser feita no Aquário Natural, no Rio Sucuri e no Rio da Prata, que fica no município vizinho de Jardim, onde ficam também a Lagoa Misteriosa e o Buraco das Araras.
Se você gosta de cachoeiras, não perca a da Boca da Onça, a mais alta do estado (156 m) e o Parque das Cachoeiras, que inclui 6 cachoeiras, grutas e poços para banho. O coração da cidade é composto por umas dez quadras da Rua Coronel Pilad Rebuá, onde há diversos restaurantes – não perca a oportunidade de provar a carne de jacaré. A maioria dos passeios deve ser agendada com antecedência nas várias agências de turismo. Há diversos hotéis e pousadas, com preços variados. Se não tiver nada para fazer à noite, vale a pena ir à palestra do Homem da Cobra no Projeto Jibóia.
Se tiver tempo e for amante da pesca, dê uma esticadinha a Corumbá (330 km, fronteira com a Bolívia) ou a Porto Murtinho (130 km, fronteira com o Paraguai).
Navegue pelos links acima e programe o seu próprio passeio. Recomendo.

domingo, agosto 19, 2012

Capital do Pantanal

Corumbá, com cerca de cem mil habitantes, fica a uns 440 km de Campo Grande, na fronteira com a Bolívia. No casario do porto você pode providenciar uma hospedagem a partir de 5 dias nos barcos-hotéis que percorrem o rio Paraguai, opção preferida dos ecoturistas e dos pescadores. Subindo o rio Paraguai, vai-se até Porto Jofre (MT) passando-se pelo Parque Nacional do Pantanal Matogrossense, no rio Cuiabá.
Para mim, que não pesco, a principal atração é a Estrada-Parque Pantanal, que liga Corumbá a Buraco das Piranhas (na BR-262) por 120 km de terra, com umas 90 pontes de madeira, incluindo uma travessia do rio Paraguai por balsa. Encha o tanque e vá devagar para poder ver os animais, principalmente jacarés e uma infinidade de aves. A melhor época para visita é de maio a agosto, quando chove menos (30-50 mm) e a temperatura é mais amena (13-27°C).
Sugiro ir até Corumbá pela BR-262, que é totalmente asfaltada e não tem pedágios, fazendo paradas em Aquidauana e Miranda. Reabasteça no Posto Pioneiro, no km 535, onde há também uma pousada, um restaurante e uma loja de souvenirs. Não deixe de parar também na Dona Maria do Jacaré. Na volta, utilize a Estrada-Parque e depois, via Miranda e Bodoquena, visite Bonito. Depois falarei de Bonito, que merece muito esse nome.

domingo, agosto 12, 2012

Olimpíada de Londres 2012

Terminamos esta edição das Olimpíadas na 22ª posição num ranking de 204 países, sendo 79 os que obtiveram medalhas. Atingimos o recorde de 17 medalhas, a maior quantidade em 92 anos de participações (22 edições, desde 1920).
Em termos de posição no ranking de países, só 5 vezes estivemos em posição melhor. A melhor foi em Antuérpia 1920: 15ª. Mas foram apenas 29 países, sendo 22 os medalhistas. Posições em Moscou 1980 e em Los Angeles 1984: respectivamente 18ª e 19ª, mas foram anos de boicotes devido à Guerra Fria, em que ora Estados Unidos e ora União Soviética não participaram. Em Seul 1988 (governo Sarney) também encerramos na 19ª posição. Se considerarmos a posição no ranking dividida pelo número de países medalhistas, este ano só foi inferior a 2004/Atenas (governo Lula), quando “nunca antes na história deste país” tivemos uma participação tão boa, terminando na 16ª posição e obtendo o nosso recorde de medalhas de ouro: 5.
Apenas nesta edição já igualamos o número de medalhas de ouro que foram obtidas nas 2 edições durante o governo FHC (Atlanta 1996 e Sydney 2000), nas 6 edições durante a ditadura militar (1964-1985), e nas 9 edições antes da ditadura. Aliás, a nossa pior colocação “em toda a história deste país” foi em 2000 (sob FHC): 52ª!
Nesta edição infelizmente houve algumas falhas de atletas considerados favoritos e também tropeços em algumas modalidades nas quais também tínhamos favoritismo. Fomos superados pelos países mais ricos e ou de maior tradição no esporte, como sempre, mas estivemos à frente da Dinamarca, da Noruega, da Suécia, da Suíça, do Canadá e de toda América Latina (exceto Cuba). No entanto, para os urubólogos de plantão esse desempenho não foi o bastante e, portanto, deveremos ser um fiasco na Copa de 2014 e na Olimpíada de 2016...
Claro que, como torcedor, fiquei triste com alguns resultados, como as medalhas de prata no futebol ontem e no vôlei hoje, mas estou orgulhoso por ser brasileiro e tenho certeza que continuaremos a melhorar constantemente.

domingo, junho 24, 2012

Capas das principais revistas semanais

É muito interessante e didático analisar as capas de nossas revistas semanais de notícias, atualidades e variedades:
  • CartaCapital: Vale tudo. Por 1 minuto e 43 segundos na tevê, o PT troca Luiza Erundina por Paulo Maluf.
  • Época: Não vale tudo. A reação ao acordo de Lula com Maluf mostra que o Brasil exige um mínimo de coerência dos políticos.
  • IstoÉ: Vale tudo? Para ganhar tempo de TV durante a campanha, políticos fazem alianças com antigos inimigos e perpetuam uma prática que está na origem dos escândalos de corrupção no País.
  • Veja: Lula malufou! A cara de pau e o cinismo na política brasileira.
Uma simples observação das imagens, fotografias ou desenhos, além da leitura das manchetes e dos destaques, deixa claro qual é a linha editorial de cada revista e a que público cada uma delas se destina.
A CartaCapital exercita certo ativismo de centro-esquerda e tem apoiado quase sempre os governos Lula e Dilma. Digo quase sempre porque às vezes a revista discorda e faz críticas às escolhas petistas. Um exemplo foi o caso Battisti. Outro poderia ser a capa dessa semana, que põe a foto do Maluf em primeiro plano e, por isso, para muita gente lembra as capas panfletárias da Veja. Por outro lado, nesta semana ela mostra bem qual foi a motivação da aliança PT-PP em São Paulo: o tempo de TV.
Surpreendentemente, a Época, que é da Globo e, portando, de direita, apresentou uma capa razoavelmente discreta e isenta, já que o tema ficou em segundo plano. Aliás, no mesmo plano de um destaque para dois ex-dirigentes do DEM que denunciam desvio de dinheiro do partido na Bahia e no Acre. Vale a pena ler também um artigo do Paulo Moreira Leite, “Contrabando ideológico do Paraguai”. Fiquei surpreso já que os Marinho praticam um parajornalismo similar ao praticado pelas famiglias Civita, Mesquita e Frias.
A IstoÉ, que se diz independente com jornalismo crítico, plural e democrático, coerente com seu centrismo, demonstra equilíbrio e equidistância, apesar da capa com a charge de Lula, Maluf, Serra e Alfredo Nascimento. Ela destaca as negociações por tempo de TV e futuros cargos que estão sendo conduzidas por todos os partidos em todo o país. Alckmin, o Picolé de Chuchu da Opus Dei, ao se recusar a nomear mais um apadrinhado de Maluf, além daquele que já está no CDHU, prejudicou o Çerra porque Maluf acabou optando pelo PT por um cargo no Ministério das Cidades. Mas o Zé Chirico logrou o apoio do PR do “mensaleiro” Valdemar Costa Neto e do ex-ministro dos Transportes Alfredo Nascimento, dispensado por corrupção na faxina da Dilma.
A Veja, folhetim de extrema direita que tem controle acionário do grupo racista sul-africano Napster, dá em segundo plano a manchete citada acima, em que se vê bem o linguajar panfletário e abertamente crítico ao PT, Lula e Dilma. Para não variar, a Veja, associada à gangue do Carlinhos Cachoeira, não pratica jornalismo, mas sim militância político-ideológica.
Ao ver a foto de Lula e Haddad cumprimentando Maluf para selar a aliança PT-PP cujo objetivo é defenestrar os demotucanos da prefeitura paulistana, confesso que senti um pouco de náusea. Lembrei do Paulo Betti, que disse que "não dá para fazer política sem botar a mão na merda", e de Groucho Marx, que disse: "Esses são os meus princípios, e se você não gosta deles...Bem, eu tenho outros". Mas citaria também Wagner Tiso, que disse: "Não estou preocupado com a ética do PT. Acho que o PT fez um jogo que tem que fazer para governar o país". Lamentei essa realpolitik e o pragmatismo dos fins justificando os meios, mas não a ponto de mudar ideologia e voto. Reconheço que aquela foto não ajuda em nada a imagem da política para os alienados e os mal-informados, mas espero que os votos dos malufistas ajudem a derrotarmos o "jênio" do aborto e da bolinha de papel.

sábado, maio 05, 2012

Gastronomia em São Bernardo do Campo

O "bolinho japonês" do Bar do Bolinho é um quitute tradicional em São Bernardo há mais de 40 anos. Desce muito bem com cerveja, inclusive. Assim como o famoso caldo de mocotó do Zelão, que já tem 35 anos. Outra boa opção, para quem gosta de frango com polenta, rabada ou feijoada, é o Restaurante do Gaia, que fica na tradicional rota dos restaurantes do bairro Demarchi. No Demarchi há também restaurantes enormes, como São Judas, São Francisco, Santo Antônio e Florestal, que promovem jantar dançante e jantar show. Não são bem o meu tipo preferido de restaurante, justamente porque não gosto de comer ouvindo música alta. Mas tem gente que vem de longe para curtir uma comidinha boa e barata. O Jardim do Mar e o Riacho Grande, outros bairros da cidade, também têm ótimas opções. E vou parar por aqui, porque o assunto já me deu fome. E sede. Melhor molhar as palavras, então.

domingo, abril 22, 2012

Drive

Drive teve sua estreia no Festival do Rio no ano passado. É um ótimo drama e suspense, dirigido pelo dinamarquês Nicolas Winding Refn, que foi o melhor diretor em Cannes com esse filme. Baseado no livro de James Sallis, com roteiro de Hossein Amini, o filme conta a aventura de um mecânico e motorista (o canadense Ryan Gosling), que de dia faz bicos como dublê e à noite como piloto de fuga em assaltos. Seus problemas começam quando ele se apaixona pela vizinha (a britânica Carey Mulligan, de "Orgulho & Preconceito" e "Shame"), que cuida sozinha de um filhinho enquanto aguarda a volta do marido presidiário. É difícil classificar esse filme, que tem diversas influências e faz muitas referências. Em minha percepção ele tem algo de film noir, ou neo-noir, além de lembrar um pouco o excelente "Taxi Driver" (Martin Scorsese, 1976). Talvez apenas o final seja questionável nesse belíssimo filme. Veja (com o perdão da palavra) o trailer abaixo.

domingo, março 18, 2012

Nossos Hóspedes Malditos

“Resident Evil” se refere a 4 filmes escritos pelo inglês Paul W.S. Anderson, fã de Ridley Scott e James Cameron. A seqüência toda é baseada no videogame homônimo, também conhecido por “Biohazard”, que Shinji Mikami dirigiu em 1996, para o PlayStation. Aliás, Mikami dirigiu também uma versão em 2002 e outra em 2005 (“Resident Evil 4”, um dos melhores videogames, para PS2 e GameCube). Claro, a estória toda deve ter começado com os seguintes filmes:
  • “O Terror Veio do Espaço” (The Day of the Triffids, 1962, Steve Sokely),
  • “A Noite dos Mortos Vivos” (Night of the Living Dead, 1968, George Romero), e
  • “Zombie – O Despertar dos Mortos” (Dawn of the Dead, 1978, George Romero).
Em 2002, Danny Boyle, outro inglês, dirigiu “Extermínio” (28 Days Later, e Paul Anderson iniciou sua série:
  • “Resident Evil – O Hóspede Maldito” (Resident Evil, 2002, Paul W.S. Anderson),
  • “Resident Evil 2 – Apocalipse” (Resident Evil: Apocalypse, 2004, Alexander Witt),
  • “Resident Evil 3 – Extinção” (Resident Evil: Extinction, 2007, Russel Mulcahy), e
  • “Resident Evil 4 - Recomeço” (Resident Evil: Afterlife, 2010, Paul W.S. Anderson).
Em todos eles, inclusive em “Resident Evil 5 - Retribuição” (Resident Evil : Retribution), que estréia esse ano, a heroína Alice é interpretada pela atriz principal, a ucraniana Milla Jovovich, esposa do próprio Paul Anderson. Ela também foi personagem principal de “O Quinto Elemento” (The Fifth Element, 1997, Luc Besson).
Vale lembrar “The Walking Dead”, que está no finzinho de sua segunda (e última?) temporada, e também aborda a mesma temática. Aliás foi adaptada de graphic novels para a TV pelo ótimo Frank Darabont (de “Um Sonho de Liberdade” e “À Espera de um Milagre”).
Sem dúvida, não podia deixar de lembrar a versão tupiniquim, estrelada por Tasso Jereissati, Arthur Virgílio, Heráclito Fortes, Mão Santa, Joaquim Roriz, José Roberto Arruda, Rita Camata, Marco Maciel, Efraim Moraes, Yeda Crusius, César Maia, entre outros expoentes da direita nau sem rumo, além, é claro, do vampiro (Zé “Çerra” Chirico). Foi divertido vê-los sem mandato, mas cuidado! Vai ser necessário muito alho e crucifixo para que eles não voltem em outubro e em 2014.

segunda-feira, janeiro 30, 2012

Os homens que não amavam as mulheres

Sexta-feira foi a estréia de Millennium - Os Homens que Não Amavam as Mulheres (The Girl with the Dragon Tattoo, 2011), baseado no livro do sueco Stieg Larsson. Agora o roteiro é de Steven Zaillan, o mesmo de “A Lista de Schindler” (Schindler’s List, Steven Spielberg, 1993). E a direção é do David Fincher, de “Clube de Luta” (Fight Club, 1999) e “Seven – Os Sete Crimes Capitais” (Se7en, 1995), entre outros bons filmes. Raramente um remake fica tão bom, ou melhor, que o original, mas talvez isso tenha acontecido dessa vez. Fica difícil dizer qual é melhor – se o atual ou “Os Homens Que Não Amavam As Mulheres” (Män som hatar kvinnor, 2009) do dinamarquês Niels Arden Oplev. Particularmente gostei mais da atuação do Michael Nyqvist e da Noomi Rapace (que está em “Sherlock Holmes: O Jogo de Sombras”, do Guy Ritchie) em comparação ao Daniel Craig e à Rooney Mara, vivendo os protagonistas Mikael Blomkvist e Lisbeth Salander. Ele é um jornalista sério (daqueles que não se encontram hoje em dia no PiG), e ela é uma hacker revoltada com a violência contra a mulher. Aliás, Larsson criou essa heroína em homenagem a uma garota que ele teria visto sendo estuprada e a quem ele não pode ajudar naquela ocasião.
A propósito, vale a pena rever toda a trilogia Millennium, composta por:
“A Menina que Brincava com Fogo” (Flickan som lekte med elden, 2009) e
“The Girl Who Kicked the Hornet’s Nest” (Luftslottet som sprängdes, 2009), respectivamente o segundo e o terceiro filmes da série, ambos dirigidos pelo sueco Daniel Alfredson (irmão de Tomas Alfredson, do ótimo “Deixa Ela Entrar”).
Veja (com o perdão da palavra) o trailer:

Mídia golpista hoje

Domingo é dia de folhear os jornalões e tentar entender o que a máfia dos barões da mídia está querendo que a gente acredite. O Globo, en...