domingo, outubro 25, 2015

A cadela do fascismo está no cio novamente


O título acima é atribuído a Bertolt Brecht e talvez seja referência ao que ele disse sobre Hitler: "Don’t rejoice in his defeat, you men! For though the world stood up and stopped the bastard, the bitch that bore him is in heat again".  Ilustra bem a corrente onda marrom do tsunami conservador iniciado em outubro de 2002 e crescente a cada derrota eleitoral da direita brasileira.
Ontem mais uma vez um bando de walking dead, analfabetos políticos ou, como eles mesmos já se chamam, coxinhas se manifestaram de forma agressiva contra petistas e qualquer um que expresse alguma ideia progressista. Dessa vez as vítimas foram Haddad e Suplicy.
Em junho o apresentador Jô Soares teve sua calçada pixada com a frase “Morra, Jô Soares” e foi chamado de “comunista” e “pago pelo PT” após ter elogiado a presidenta Dilma.  Fernando Morais, que o defendeu, também foi hostilizado nas redes sociais.
No mesmo mês, o ex-ministro da Fazenda, Guido Mantega, voltou a ser agredido enquanto almoçava em um restaurante de São Paulo.  Em fevereiro ele tinha sido ofendido no Hospital Albert Einstein, quando estava com a companheira que luta contra um câncer.
Em maio o ex-ministro da Saúde, Alexandre Padilha, foi insultado enquanto almoçava também em um restaurante paulistano.
As redes sociais, e não somente o Facebook e o Whatsapp mas até o LinkedIn, estão repletas de manifestações seletivas de ódio e intolerância. A mídia, que tem atuado como partido político de fato, é a grande responsável por estourar essa boiada.  Enquanto seus proprietários guardam dinheiro em paraísos fiscais, a mídia prega diuturnamente que toda a corrupção do país surgiu por causa do PT e só deve acabar com sua extinção.  E, da mesma forma que o flautista de Hamelin, hipnotiza seus leitores, ouvintes e telespectadores.  Mas o que assusta mais: a falta de discernimento das pessoas ou o fascismo enraizado em corações e mentes?



segunda-feira, outubro 19, 2015

Ética nos negócios e na política

Este foi o título da palestra proferida na semana passada por Joaquim Barbosa, ex-presidente do STF, no 14º Congresso Internacional de Tintas, a ABRAFATI 2015.
O ex-ministro do Supremo frustrou a maioria da plateia, formada por gente branca, conservadora e de classe média que certamente votou no candidato da mídia há um ano.  Digo isso porque essa gente estava ávida para saber o que Joaquim Barbosa pensa de um eventual (e muito desejado por eles) impeachment da presidenta democraticamente eleita.  E ele tirou a esperança deles afirmando que o impeachment é um recurso que se deve usar apenas em último e extremo caso.  Citou que o do Collor justificou-se porque a Casa da Dinda tinha sido totalmente construída com dinheiro da corrupção e que o Caçador de Marajás tivera somente apoio midiático e nenhuma base de sustentação, já que o partidinho dele, PRN, era minúsculo, artificial e sem nenhuma representatividade.  Achei que faltou pouco para que o xingassem de ‘petralha’ quando afirmou que nada há contra Dilma.
Além de sua completa exposição sobre a composição dos poderes na república brasileira, Joaquim Barbosa citou três causas da atual crise política, a saber:
A falta de ‘jogo de cintura’ e diálogo com a sociedade por parte da Presidência.  Ele não citou o nome da presidenta e aí interpretei uma crítica indireta a ela, a única, por sinal.  Claro, isto foi segundo a minha percepção.
A falta de ética da maioria dos políticos, principalmente aqueles que hoje compõem o Congresso.  E frisou que é totalmente contrário ao financiamento privado de campanha eleitoral, mencionando que os políticos já dispõem de uma verba bilionária, que é o Fundo Partidário.  Aí, ficou clara sua reprovação à avidez dos partidos de direita pelo dinheiro do financiamento privado, como é o caso do PSDB.
A falta de informação da maioria da população, inclusive de gente que se acha bem informada por esta mídia que está muito longe de ser isenta.  Também indiretamente ele criticou aquelas pessoas que vão para as ruas, como ratos hipnotizados pelo flautista de Hamelin (a mídia), sem saber o que reivindicar, alguns até pedindo o retorno insensato da ditadura.
Confesso que me surpreendi com a postura relativamente equilibrada do ministro, apesar de ter apontado apenas o Executivo, o Legislativo e a própria população como causas da crise, sem fazer nenhuma crítica ao Judiciário e a seu próprio papel como agente deste. 
Com relação ao setor industrial, um ponto positivo de sua palestra foi afirmar que a indústria não precisa e não deve contar com a ajuda financeira do governo, citando inclusive que este não é o caso da indústria de tintas.
E finalmente a boa notícia é que ele contrariou mais uma vez os coxinhas ao reiterar que não pretende ser candidato à presidência. Mas será que a direita o lançaria realmente como candidato?

quarta-feira, outubro 07, 2015

O cofre do Picolé e o buraco do Çerra

Ontem alguns veículos estamparam: “Alckmin torna/impõe sigilo de 25 anos a/para projetos de metrô/transportes”.  É o caso da Exame (Abril), ConversaAfiada, Brasil247, RedeBrasilAtual e Fórum.  Ao comparar o viés de cada um, podemos concluir que alguém vai ser advertido lá na Abril.  A mesma notícia foi estampada assim pela Época (Globo) e pelo Estadão: “Gestão Alckmin decreta/impõe sigilo de 25 anos a documentos de metrô/transportes”.  Repare que agora o sujeito é a gestão, não o servo da Opus Dei.  Mídia amiga não consegue esconder que o cofre do Picolé é a própria confissão do trensalão ou do metrolão.  Aliás, passados 8 anos do buraco da estação de Pinheiros, o crime está prescrevendo, ninguém foi julgado e nem mesmo uma plaquinha foi colocada na estação em memória das sete vítimas fatais.
A novidade do dia saiu no Estadão: “WhatsApp de cúpula da Andrade revela torcida por Aécio nas eleições”.  Essa é muitíssima interessante e dispensa comentários.
Ler para informar-se é muito importante.  É claro que não basta ler superficialmente, mas é preciso aprender a ler as entrelinhas, isto é, entender e captar a essência da mensagem.  Conhecer o mensageiro facilita o entendimento. Como dizem os velhos livros, quem tiver olhos para ver, ou de ver, que veja.
P.S.: Nada melhor do que um dia após o outro.

domingo, outubro 04, 2015

Os Heróis da Mídia

Na quarta-feira o MP da Suíça nos enviou os autos da investigação sobre lavagem de dinheiro e corrupção passiva do presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ), quando soubemos que ele tem quatro contas bancárias somando US$ 5 milhões.  Agora, na iminência da queda de mais um ícone da direita, elogiado pelos colegas evangélicos Malafaia e Marco Feliciano, e os “jornalistas” Rachel Sheherazade e Reinaldo Azevedo (da Veja e da Jovem Pan AM), os jornalões e as revistas semanais praticamente o ignoram, sem manchetes principais e nem capas.
A revista Veja não faz nenhuma menção a Cunha, a não ser na coluna do Tio Rei.  Mas Cunha foi capa na última edição de março com a manchete “A Súbita Força de Eduardo Cunha”, lembrando bem aquela “reporcagem” na primeira edição de julho de 2007, “Os Mosqueteiros da Ética”, em que elogiava Demóstenes Torres.  Aliás, essa revistinha foi capaz de encontrar uma conta falsa do Romário na Suíça, mas não encontrou as quatro contas verdadeiras do Cunha!
Da mesma forma que a Veja, a IstoÉ (também conhecida por QuantoÉ) e a Época (a revista de fofocas da Globo) se omitem completamente, preferindo atacar Dilma, Lula e o PT.  Estas publicações deixam bem claro a sua opção de trocar o jornalismo, se é que algum dia elas o praticaram, pela militância política partidária e ideológica.  A CartaCapital também não destacou Cunha na capa, mas trouxe diversos artigos sobre o assunto:
Para ilustrar o viés da mídia vale a pena ler o texto da Andressa Costa Prates: “A IMPRENSA COMO PARTIDO POLÍTICO: A COBERTURA DA GREVE NAS UNIVERSIDADES FEDERAIS POR VEJA, CARTA CAPITAL, ISTOÉ E ÉPOCA”.
Em tempo: não é apenas a mídia golpista que se cala sobre Cunha.  Essa oposição sem rumo e sem projeto faz exatamente o mesmo.  Os coxinhas, cuja indignação é seletiva e agora não batem panelas, dizem: “Cunha é corrupto, mas está do nosso lado”!  Segundo o Brasil247, OPOSIÇÃO QUE PREGA GOLPE SE CALA SOBRE CUNHA.