quarta-feira, abril 25, 2007

Ora, pois, se não é 25 de Abril, ó pá


Foi bonita a festa, pá
Fiquei contente
E inda guardo, renitente
Um velho cravo para mim

Já murcharam tua festa, pá
Mas certamente
Esqueceram uma semente
Nalgum canto do jardim

Sei que há léguas a nos separar
Tanto mar, tanto mar
Sei também quanto é preciso, pá
Navegar, navegar

Canta a primavera, pá
Cá estou carente
Manda novamente
Algum cheirinho de alecrim

terça-feira, abril 24, 2007

Roda Viva

O programa "Roda Viva", que a TV Cultura exibe toda segunda-feira às 22h30, está em plena forma, apresentado pelo jornalista Paulo Markun. Ontem o entrevistado foi o também jornalista Franklin Martins, hoje ministro da Comunicação Social. Ambos constam em uma lista chamada de "os lulistas da imprensa" que foi publicada na imprensa marrom (leia-se aqui Veja, a revista metade propaganda) por aquele parajornalista dedo-duro - você sabe quem, não? Fosse eu jornalista, teria orgulho se tivesse meu nome nela incluído. A meu ver, só tem gente boa e que arregaçou de fato as mangas para ajudar a construir a democracia que temos hoje após literalmente tanto sangue, suor e lágrimas. Nada a ver com alguns oportunistas vendidos que chegaram agora para desfrutar desta liberdade. Esses perderam o bonde da história. E, conforme um antigo ditado árabe, os cães latem e a caravana passa. A propósito, peço emprestado as tantas palavras do Chico Buarque para "essa gente":
Vai passar nessa avenida um samba popular
Cada paralelepípedo da velha cidade essa noite vai se arrepiar
Ao lembrar que aqui passaram sambas imortais
Que aqui sangraram pelos nossos pés
Que aqui sambaram nossos ancestrais
Num tempo página infeliz da nossa história, passagem desbotada na memória
Das nossas novas gerações
Dormia a nossa pátria mãe tão distraída sem perceber que era subtraída
Em tenebrosas transações
Seus filhos erravam cegos pelo continente, levavam pedras feito penitentes
Erguendo estranhas catedrais
E um dia, afinal, tinham o direito a uma alegria fugaz
Uma ofegante epidemia que se chamava carnaval, o carnaval, o carnaval
Vai passar, palmas pra ala dos barões famintos
O bloco dos napoleões retintos e os pigmeus do boulevard
Meu Deus, vem olhar, vem ver de perto uma cidade a cantar
A evolução da liberdade até o dia clarear
Ai que vida boa, o lelê, ai que vida boa, o lalá
O estandarte do sanatório geral vai passar
Ai que vida boa, o lelê, ai que vida boa, o lalá

domingo, abril 22, 2007

Filmes que vi neste fim de semana

Sábado à noite na HBO:

  • "A Luta pela Esperança" (Cinderella Man, 2005, Ron Howard), como está em seu subtítulo, é a extraordinária luta de um homem para salvar a família, estória de James Braddock (Russell Crowe), um boxeador supostamente acabado que voltou a ser campeão, herói e inspiração para os americanos na Era da Depressão (anos 30). É o melhor filme do Ron Howard, que dirigiu também "Uma Mente Brilhante" (A Beautiful Mind, 2001), "Apollo 13 - Do Desastre ao Triunfo" (Apollo 13, 1995), "Willow - Na Terra da Magia" (Willow, 1988), "O Tiro Que Não Saiu pela Culatra" (Parenthood, 1989), "O Código Da Vinci" (The Da Vinci Code, 2006) e "Cocoon" (1985), lembra?

Hoje no DVD:

  • "Tess - Uma Lição de Vida" (Tess, 1979), um belo filme do Polanski sobre uma jovem camponesa (Nastassja Kinski, a belíssima atriz alemã, filha do Klaus Kinski) que vive um drama triste e sem final feliz na Inglaterra do século 19. Bela fotografia, atmosfera campestre, bucólica... Só vi um defeito: o filme é bem longo, quase três horas. Não é o melhor do Polanski, mas vale a pena. Aliás, vale citar de novo os melhores dele: "Repulsa ao Sexo" (Repulsion, 1965), "O Bebê de Rosemary" (Rosemary's Baby, 1968), "O Pianista" (The Pianist, 2002) e o eterno "Chinatown" (1974), meu preferido.

domingo, abril 15, 2007

Dois filmes diferentes

Sexta e sábado vi dois filmes bem diferentes e interessantes. A seguir, meus comentários:

  • "Ararat" (2002, Atom Egoyan) expõe o genocídio armênio, também conhecido por holocausto e massacre armênio, promovido pelos turcos otomanos de 1915 a 1917 e até hoje não reconhecido oficialmente pela Turquia. O nome do filme se refere ao Monte Ararate que, embora fique na Turquia, é o símbolo da Armênia e também é conhecido por ser supostamente o local onde a Arca de Noé teria tocado terra firme após o Dilúvio. O filme poderia frisar mais a parte histórica, mas se preferiu colocar os acontecimentos históricos como pano de fundo para um drama atual. É a Mostra Internacional de Cinema da TV Cultura, que continua ótima.
  • "Casino Royale" (2006, Martin Campbell) é o melhor 007 feito até hoje. Diferente de todos os outros, este filme é mais realista e mostra o James Bond que comete erros, que se envolve mais com as pessoas e a missão, que não é aquela espécie de super-homem, mas é mais humano. A princípio a gente estranha porque faltam aqueles rostinhos bonitos do cinema de entretenimento. Não tem aquela parafernália tecnológica e nem Guerra Fria. É o novo 007, agora para sempre. Gostei.

segunda-feira, abril 09, 2007

Circuito das Águas, de novo


Essa foto é da "Disneilândia dos Robôs", atração turística de Serra Negra. É o "mundo encantado dos robôs em movimento" para crianças "de 8 a 80 anos", com vários robôs mecanizados feitos de sucata em diversos tamanhos. Simples e criativo. Leve as crianças.
Se você for a Serra Negra, anote uma dica gastronômica, além do Restaurante Sr. Bacalhau, que comentei outro dia:
Taco-Taco: pizzaria em que os garçons oferecem embalagens de pizza para a garotada desenhar, pintar e deixar mensagens com os lápis de cera disponíveis em todas as mesas. Essas obras de arte acabam forrando todas as paredes, compondo uma decoração bastante curiosa. E há verdadeiras obras de arte, sim, que não devem ter sido desenhadas e pintadas por crianças. E o que interessa: é a melhor pizza da cidade. Vale a pena conhecer.
Se você já viu tudo em Serra Negra, dê um pulo a Jaguariúna, a uns 40 km passando por Amparo e Pedreira.
A foto abaixo é da Maria Fumaça na Estação Tanquinho, que fica na Fazenda Santa Maria. O trecho Jaguariúna-Tanquinho é uma das alternativas de passeios culturais e recreativos da Associação Brasileira de Preservação Ferroviária.

segunda-feira, abril 02, 2007

Filmes recentes

Pra não dizer que não falei dos filmes recentes, já faz cerca de um mês que estou pra falar de dois filmes que estreiaram em outubro e novembro últimos. O primeiro, uma decepção. O segundo, uma boa surpresa. Veja o que achei:

  • "Dália Negra" (The Black Dahlia, 2006, Brian De Palma), roteiro fraco de Josh Friedman, adaptado do romance mais fraco de James Ellroy (que escreveu o belo L.A. Confidential, "Los Angeles, Cidade Proibida"), com bela fotografia, é um filme até bonito, mas deixou muito a desejar a nós, fãs do Brian De Palma. Para variar, ele nos fez lembrar do mestre do suspense. As cenas do assassinato na escadaria me fizeram lembrar do "Vestida para Matar" (Dressed to Kill, 1980). Se você não viu, só veja se for fã do Brian De Palma.
  • "Os Infiltrados" (The Departed, 2006, Martin Scorsese) é um suspense bem superior, em que o mafioso infiltrado na polícia, Billy Costigan (Leonardo DiCaprio), e o policial infiltrado na máfia, Colin Sullivan (Matt Damon), têm a missão de desvendar a identidade do inimigo. O Scorsese conseguiu fazer este dois (o DiCaprio e o Damon) atuarem! Só pelas mãos de um gênio, não? Não se fazem mais Jack Nicholsons como antes... Bem, este filme qualquer um pode ver. Não precisa pensar muito. Até ganhou 4 Oscars! ;-) Falando sério: é um ótimo filme, dos melhores do Scorsese.

Mídia golpista hoje

Domingo é dia de folhear os jornalões e tentar entender o que a máfia dos barões da mídia está querendo que a gente acredite. O Globo, en...