sábado, abril 22, 2017

Vamos falar de Economia?

É comum encontrar pessoas, até com algum grau de educação formal, espalhando desinformação e contrainformação pelas redes sociais ao citar dados da propaganda enganosa do governo ilegítimo e da mídia sonegadora e golpista.  Tal como os ratos e as crianças de Hamelin, são os manipulados de hoje, que só abriam jornais para consultar as seções de horóscopo, entretenimento e esportes, mas hoje assinam folhetins semanais de fofocas.  São os mesmos analfabetos políticos que, tal como walking dead, marcharam nas avenidas atrás do pato plagiado da FIESP e bateram panelas nas sacadas de seus apartamentos, alguns em Miami.  Que indigência intelectual!
Há quem rejeite o dualismo alegando que há muitos tons de cinza, muitos níveis de saturação ou muitas cores mesmo.  Faz sentido, a Internet e as redes sociais têm de tudo, mas basicamente há dois lados: o bom e o mau. A consequência é que agora todo mundo está exposto e pode ter seus minutos de fama, mas é necessário saber usufruir da liberdade de expressão. Não é incomum ver pessoas agindo como lobos ao promover o ódio nas redes sociais mais populares, mas como cordeiros nas redes mais "profissionais", como o Linkedin por exemplo. Alguns até criticam conteúdo inadequado ou desvio de finalidade no Linkedin, enquanto toleram memes e menções a Filosofia e Religião, exceto Política.  Economia pode, porque é chique, está na moda, parece "corporativo".  Mas como separar Política de Economia?  De Educação? De Saúde? Política é sociedade, comunidade, coletividade.  Infelizmente, no mundo moderno, a democracia deixou de ser o governo do povo para ser o governo das corporações, das empresas, do capital.  Assim é o mundo globalizado, sem fronteiras, onde impera apenas o interesse corporativo.  Empresas de mídia escolhem o que, como, quando, onde, a quem e por que informar, empregando propaganda e formadores de opinião.  Então, voltamos ao início.
Vamos falar de Economia, com dados concretos?
Para entender, explicar e até justificar o golpe vigente, iniciado em 2013, há quem acredite que Dilma errou em seu governo.  Será? Observe, no primeiro gráfico a seguir, o que houve com alguns países entre 2012 e 2014.  A Economia encolheu só aqui? E quando houve melhores dias do que entre 2002 e 2011?    



O boycott promovido pelos perdedores das eleições de 2014 trouxe muitos desempregos ao país. Mas observe como o desemprego se comportou entre 2003 e 2012.  Será que chegaremos ao nível da Europa? Veja abaixo.



A direita e os manipulados sempre criticam os governos trabalhistas porque estes, em sua versão, não investiriam em Educação.  Mas vamos verificar se é verdade?  Compare, no gráfico a seguir, como o Brasil e alguns países ricos gastam com Educação.



Alguém poderá discordar, alegando diversas percepções, mas, como na Ciência, não dá para argumentar com paixões, achismos e manipulação, sem apresentar dados objetivos e concretos.  Qualquer um pode criticar um governo popular e de trabalhadores, principalmente se for oriundo de ou pertencer às classes mais abastadas, mas deve e precisa apresentar referências válidas. 

Mídia golpista hoje

Domingo é dia de folhear os jornalões e tentar entender o que a máfia dos barões da mídia está querendo que a gente acredite. O Globo, en...