segunda-feira, janeiro 30, 2012

Os homens que não amavam as mulheres

Sexta-feira foi a estréia de Millennium - Os Homens que Não Amavam as Mulheres (The Girl with the Dragon Tattoo, 2011), baseado no livro do sueco Stieg Larsson. Agora o roteiro é de Steven Zaillan, o mesmo de “A Lista de Schindler” (Schindler’s List, Steven Spielberg, 1993). E a direção é do David Fincher, de “Clube de Luta” (Fight Club, 1999) e “Seven – Os Sete Crimes Capitais” (Se7en, 1995), entre outros bons filmes. Raramente um remake fica tão bom, ou melhor, que o original, mas talvez isso tenha acontecido dessa vez. Fica difícil dizer qual é melhor – se o atual ou “Os Homens Que Não Amavam As Mulheres” (Män som hatar kvinnor, 2009) do dinamarquês Niels Arden Oplev. Particularmente gostei mais da atuação do Michael Nyqvist e da Noomi Rapace (que está em “Sherlock Holmes: O Jogo de Sombras”, do Guy Ritchie) em comparação ao Daniel Craig e à Rooney Mara, vivendo os protagonistas Mikael Blomkvist e Lisbeth Salander. Ele é um jornalista sério (daqueles que não se encontram hoje em dia no PiG), e ela é uma hacker revoltada com a violência contra a mulher. Aliás, Larsson criou essa heroína em homenagem a uma garota que ele teria visto sendo estuprada e a quem ele não pode ajudar naquela ocasião.
A propósito, vale a pena rever toda a trilogia Millennium, composta por:
“A Menina que Brincava com Fogo” (Flickan som lekte med elden, 2009) e
“The Girl Who Kicked the Hornet’s Nest” (Luftslottet som sprängdes, 2009), respectivamente o segundo e o terceiro filmes da série, ambos dirigidos pelo sueco Daniel Alfredson (irmão de Tomas Alfredson, do ótimo “Deixa Ela Entrar”).
Veja (com o perdão da palavra) o trailer: