segunda-feira, fevereiro 28, 2005

Você concorda com a severinização?


A Ação da Cidadania está realizando uma consulta popular sobre o aumento de 67% nos salários dos deputados proposta pelo Severino Cavalcanti. Dê o seu voto também.

domingo, fevereiro 27, 2005

Dogville


Dogville é um filme extraordinário. Talvez um dos melhores filmes dos últimos tempos. Refiro-me à arte da cinematografia. Não a Hollywood ou ao Oscar. Esse filme do Lars von Trier impressiona logo de cara porque não tem cenário! Ou melhor, o cenário é como um palco de teatro, com áreas demarcadas no chão mostrando a principal rua (Elm St.) da cidade com suas casas, no interior dos Estados Unidos. Mas, com o tempo a gente esquece disto e se surpreende a cada ato desta peça teatral. Fiquei surpreso também com a atuação da Nicole Kidman, que dessa forma para mim deixa de ser apenas um rostinho bonito do cinema. Ela é a jovem perseguida pela polícia e pela máfia. É acolhida pelos habitantes da cidade. Mas esta acolhida vai custar caro para ela. E para eles. E até para nós, que assistimos. O filme é uma grande crítica ao modo americano de ser e pensar. E nos faz refletir muito. É um filme para pensar. Quase três horas de reflexão! Entre tantas coisas, me convence mais uma vez de que há situações em que a gente pode conhecer de fato as pessoas. E uma dessas situações é quando estas pessoas adquirem alguma forma de poder. Aí então elas se transformam. Ou passam a mostrar uma faceta antes oculta.
Como não sou crítico de cinema, mas apenas um cinéfilo, recomendo a análise do Duplipensar.net - muito interessante.

terça-feira, fevereiro 22, 2005

Novidades


- Sexta estive em Porto Alegre, e na volta sabe quem esteve no mesmo vôo que eu? O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que estava voltando de Novo Hamburgo, onde tinha sido recebido como candidato tucano a presidente em 2006. Com exceção da FEBEM, até que o governo dele está indo bem, e há uma grande expectativa agora com o Serra na prefeitura da Capital. Tomara que essa dobradinha dê certo.
- Sábado terminei de ler "Olga" (Fernando Morais, 1994), livro que eu tinha já há bastante tempo, mas que me animei a terminar de ler só agora depois que vi o filme. E já comecei outro: "O Sapo e o Príncipe" (Paulo Markun, 2004), que conta a história recente do Brasil contemporâneo.
- Domingo fui ao Mercado Municipal de São Paulo. Está bem bonito depois da reforma. Gostei bastante dos vitrais em estilo gótico. Se tiver um tempinho, vá lá nem que seja só para experimentar o pastel de bacalhau no Hocca Bar.
- Ontem fui ao velório de uma colega. Estava no trabalho, e de repente, teve um derrame. Foi um dia triste. Não vou me estender, mas me ocorre que nessas horas é que a gente vê como nossa existência é frágil e que muitas coisas de nosso dia-a-dia não valem o nosso stress. Olhai como crescem os lírios do campo! Não trabalham nem fiam...

quarta-feira, fevereiro 16, 2005

Câmara derrota Lula e elege Severino


É a manchete da Folha hoje. Não costumo comentar política aqui. Pelo menos não a política nacional atual. Mas ontem presenciei um momento histórico, ouvindo pelo rádio do carro a apuração dos últimos votos para a presidência da Câmara, logo cedo, quando ia ao trabalho. E aí decidi comentar. Mas não o fiz ontem. Decidi esperar a reação da imprensa, ponderar. E fiz bem. De fato, estava certo que era um momento histórico. Mas não pelos motivos que imaginei, sem conhecimento dos últimos fatos que envolveram essa eleição. A primeira impressão foi que a eleição do Severino Cavalcanti teria sido um ato de auto-afirmação do poder legislativo, uma declaração de independência, uma lição de democracia. Afinal o governo vinha maltratando o parlamento, que praticamente não tem legislado, mas apenas votado medidas provisórias impostas pelo executivo. Os ministros nem atendiam mais os parlamentares. O governo enviou uma comissão de ministros para pressionar os deputados e fez tudo que podia em favor de seu candidato (Luiz Eduardo Greenhalgh), um nome não bem aceito nem mesmo dentro do partido majoritário e do governo, o PT. Sem falar de uma série de erros táticos e estratégicos. Bom, era a resposta das urnas. Muito justo. Mas, houve um fator determinante. Pela primeira vez o partido majoritário, do governo, ficou de fora da Mesa diretora da Câmara. Claro que foi um fato histórico, mas não daqueles de se orgulhar. Ao contrário. O que levou “300 picaretas” a votar no candidato retrógrado e inexpressivo, Severino, ex-menino de recados da ditadura militar, foi sua promessa de elevar os salários dos deputados e “dar-lhes melhores condições de vida!” Resultado: o governo perdeu. O PT perdeu. O Brasil perdeu.

domingo, fevereiro 13, 2005

As Bicicletas de Belleville


Embora inspirado em "A Guerra dos Dálmatas", As Bicicletas de Belleville (Sylvain Chomet, 2003) é muito melhor que qualquer animação Disney. Não tem aquele enfoque comercial e ideológico do "american way of life". É praticamente mudo, mas tem uma trilha sonora maravilhosa, desenho estilizado, cores sutis, personagens expressivos, cenas engraçadas. A cena do pedalinho vai ficar na história! A portuguesa Madame Souza percebe que seu netinho Champion anda triste. Ela lhe dá de presente o cachorrinho Bruno, mas isso não anima muito o garoto. Nem um trenzinho elétrico dá resultado. Até que ela descobre que a grande paixão do garoto são as bicicletas e seu sonho é um dia participar da Volta da França. Então lhe dá um triciclo. Aí começa toda a aventura! Vale a pena conferir.

Chico Buarque - o tempo e o artista


Dica de um amigo: ver a exposição sobre a vida e carreira do Chico Buarque no SESC-Pinheiros (R.Paes Leme, 195, térreo e também no 3o. andar, entrada franca). A mostra é dividida em blocos, com sua infância e adolescência, a influência do samba em sua música (vale a pena ver e ouvir sua discografia), sua paixão pelo futebol (torcedor do Flu e fã do Pagão, do Santos), e sua participação na história política do país, onde se pode ver inclusive um bilhete ameaçador do CCC (Comando de Caça aos Comunistas), que em julho de 1968 invadiu o teatro, destruiu os cenários e agrediu os atores da peça "Roda Viva", do Chico, dirigida pelo Zé Celso Martinez Correia. E aqui vai nossa resposta aos agressores:

Hoje você é quem manda
Falou, tá falado
Não tem discussão, não.
A minha gente hoje anda
Falando de lado e olhando pro chão.
Viu?
Você que inventou esse Estado
Inventou de inventar
Toda escuridão
Você que inventou o pecado
Esqueceu-se de inventar o perdão.

(Coro) Apesar de você
amanhã há de ser outro dia.
Eu pergunto a você onde vai se esconder
Da enorme euforia?
Como vai proibir
Quando o galo insistir em cantar?
Água nova brotando
E a gente se amando sem parar.

Quando chegar o momento
Esse meu sofrimento
Vou cobrar com juros. Juro!
Todo esse amor reprimido,
Esse grito contido,
Esse samba no escuro.

Você que inventou a tristeza
Ora tenha a fineza
de “desinventar”.
Você vai pagar, e é dobrado,
Cada lágrima rolada
Nesse meu penar.

(Coro2) Apesar de você
Amanhã há de ser outro dia.
Ainda pago pra ver
O jardim florescer
Qual você não queria.

Você vai se amargar
Vendo o dia raiar
Sem lhe pedir licença.

E eu vou morrer de rir
E esse dia há de vir
antes do que você pensa.
Apesar de você

(Coro3) Apesar de você
Amanhã há de ser outro dia.
Você vai ter que ver
A manhã renascer
E esbanjar poesia.

Como vai se explicar
Vendo o céu clarear, de repente,
Impunemente?
Como vai abafar
Nosso coro a cantar,
Na sua frente.
Apesar de você

(Coro4) Apesar de você
Amanhã há de ser outro dia.
Você vai se dar mal, etc e tal,
La, laiá, la laiá, la laiá…….

sexta-feira, fevereiro 11, 2005

Carnaval na Serra Fluminense


Vou fazer um resumo da minha viagem à serra fluminense no estilo do "Guia Quatro Rodas", como uma singela homenagem a seus 40 anos.

Petrópolis


O centro histórico de Petrópolis tem várias atrações, como:
a) Museu Imperial (1845): palácio construído em estilo neoclássico para ser residência de verão de D. Pedro II e Dna. Teresa Cristina. Bom acervo, com destaque para a coroa, o cetro, o manto e o trono imperial.
b) Palácio Quitandinha (1944): construído em estilo normando para ser o maior hotel cassino da América Latina, com salões hollywoodianos em que se destaca o Salão Mauá, que tem uma impressionante cúpula de 30 metros de altura e 50 metros de diâmetro. Vou resumí-lo com um só adjetivo: magnífico.
c) Catedral São Pedro de Alcântara (1884): construída em estilo neogótico francês, com vitrais coloridos e texto em Latim, órgão de tubo, e mausoléu imperial com os restos mortais de D. Pedro II, Da. Teresa Cristina, Conde D'Eu e Princesa Isabel.
d) Palácio de Cristal (1884): construído na França em estrutura pré-moldada de ferro, com vidro laminado, presente do Conde D'Eu à Princesa Isabel.
e) Palácio Rio Negro (1890): construído pelo Barão do Rio Negro, residência de verão do Presidente da República, exceto durante a ditadura militar, que o usou como sede para uma guarnição motorizada!
f) Casa de Santos Dumont (1918), conhecida como A Encantada, residência de verão do inventor, quase em frente ao Relógio de Flores.
g) Trono de Fátima, monumento de onde se tem uma vista privilegiada do centro histórico.
Dica gastronômica: comer bacalhau assado no forno com cebolas, no Parrô do Valentim.

Teresópolis


Cidade mais moderna, cuja maior atração é o Parque Nacional da Serra dos Órgãos, onde acabei não indo (:-(), mas consegui ver o que mais chama atenção, que é o pico Dedo de Deus (1692 metros de altura), que se vê bem de dois mirantes: do Soberbo, com uma bela vista da Baía da Guanabara, na entrada da cidade pela BR-116; e da Colina, com vista panorâmica da cidade.
Dica gastronômica: cozinha russa, autêntico banquete da época dos czares, com ótima vodca, na Dona Irene. Eu provei o Frango à Kiev - sem comentários.

Nova Friburgo


Cidade cercada por morros, com destaque para o Morro da Cruz (1320 m), com Teleférico e uma vista panorâmica da cidade. Tem também o Pico da Caledônia (2219 m), com vista da Região dos Lagos e da Baía da Guanabara.

Para deixar o pessoal com água na boca, vou terminar com mais duas dicas gastronômicas.
Como fui de carro, na ida parei em Penedo para comer truta no Vernissage. Na volta, passei em Visconde de Mauá e tracei uma Vaca Atolada no Restaurante Gosto com Gosto, que tem mais de 300 tipos de cachaças das boas!
Esse foi o meu jeito de "pular" o Carnaval.

quinta-feira, fevereiro 03, 2005

Habla con ella


Estou aproveitando as férias para rever alguns filmes e ver outros que perdi, como o "Fale com ela" (2002, Pedro Almodóvar). Realmente esse filme excedeu às minhas expectativas. Talvez atualmente o Almodóvar seja o diretor não americano mais importante. Essa é uma estória de uma amizade, dois amores e de perdas em um final triste. Surpreendente para mim também é a trilha sonora simplesmente maravilhosa, com a Elis e o Caetano Veloso (este participa do filme). E o filminho mudo, incidental, no meio da narrativa, "El Amante Menguante" é um toque de gênio. Nota 100! Vale a pena conferir.

terça-feira, fevereiro 01, 2005

Cancún é do Caribe


Image Hosted by ImageShack.us

Passei uma semana em Cancún. Viagem cansativa. Ida e volta com o Airbus A320, desconfortável para viagens longas - 9 horas, mais uma parada para troca de tripulação em Manaus, fora o jet lag de 4 horas. Mas valeu a pena. Os Estados Unidos Mexicanos são um país bem interessante. Sim, esse é o nome do México, onde conheci os Estados de Yucatán e Quintana Roo na península de Yucatán. Embora a praia do hotel fosse excelente, parecendo uma piscina, com uma areia branca finíssima que não esquenta, o interessante lá é fazer excursões a parques ecológicos e arqueológicos. Entre os ecológicos, visitei Xcaret e Xel-Há. Em Xcaret a gente nada em um rio subterrâneo, com coletes salva-vidas, sob cavernas cheias de formações de corais fossilizados. Em Xel-Há, um dos maiores aquários naturais do mundo, é ótimo nadar pela enseada, com snorkel, pra ver os peixes marinhos multi-coloridos. Porque tem a segunda maior barreira de corais do mundo, que filtram a água, retendo o plâncton, a água do mar na Riviera Maya é cristalina, azul-turquesa - nunca tinha visto nada igual. Na Isla (de las) Mujeres e em Cozumel se faz mergulho de profundidade, com equipamento. Por outro lado, os parques arqueológicos são uma amostra impressionante da cultura pré-colombiana, principalmente por suas pirâmides maias. Visitei Tulum, Cobá e Chichen-Itza, com estádios do jogo da pelota, templos, observatórios e a belíssima pirâmide de Kukulkán (foto). A cultura maia é muito rica, mas pouco se sabe a respeito porque ainda não foi totalmente decifrada sua escrita (hieróglifos). Além disso, praticamente o que os espanhóis não destruiram (porque tacharam a religião maia de diabólica, impondo à força o cristianismo), os arqueólogos americanos e ingleses, para não dizer de outra forma, tiraram ilegalmente do México.

Mídia golpista hoje

Domingo é dia de folhear os jornalões e tentar entender o que a máfia dos barões da mídia está querendo que a gente acredite. O Globo, en...