Capital do Pantanal

Corumbá, com cerca de cem mil habitantes, fica a uns 440 km de Campo Grande, na fronteira com a Bolívia. No casario do porto você pode providenciar uma hospedagem a partir de 5 dias nos barcos-hotéis que percorrem o rio Paraguai, opção preferida dos ecoturistas e dos pescadores. Subindo o rio Paraguai, vai-se até Porto Jofre (MT) passando-se pelo Parque Nacional do Pantanal Matogrossense, no rio Cuiabá.
Para mim, que não pesco, a principal atração é a Estrada-Parque Pantanal, que liga Corumbá a Buraco das Piranhas (na BR-262) por 120 km de terra, com umas 90 pontes de madeira, incluindo uma travessia do rio Paraguai por balsa. Encha o tanque e vá devagar para poder ver os animais, principalmente jacarés e uma infinidade de aves. A melhor época para visita é de maio a agosto, quando chove menos (30-50 mm) e a temperatura é mais amena (13-27°C).
Sugiro ir até Corumbá pela BR-262, que é totalmente asfaltada e não tem pedágios, fazendo paradas em Aquidauana e Miranda. Reabasteça no Posto Pioneiro, no km 535, onde há também uma pousada, um restaurante e uma loja de souvenirs. Não deixe de parar também na Dona Maria do Jacaré. Na volta, utilize a Estrada-Parque e depois, via Miranda e Bodoquena, visite Bonito. Depois falarei de Bonito, que merece muito esse nome.

Comentários