Jornal só serve para embrulhar peixe?


Síntese do golpe de 2016

Conheci gente que, quando abria um jornal, ia direto e somente às seções de esporte, diversão e lazer.  Hoje, mesmo com os portais dos jornalões à disposição na internet, muita gente prefere os sites de esportes, diversão e fofoca (do tipo da revista Caras, que é melhor que a Veja). Quem não lê, não escreve, não fala, não pensa.  Esse pessoal não argumentos; tem memes, apenas.  Não tem opinião e, quando parece ter, a opinião é alheia, da TV, do Facebook, do Whatsapp.

Notícias interessantes desta primeira quinzena:

Patópolis se rende às empresas contra a neutralidade da Internet
Será que os paneleiros continuarão a se arrepender?

Justiça boa é justiça rápida?
Aos amigos, os favores, tudo; aos inimigos, o rigor da lei.

Diga-me com quem andas e te direi quem és
Mestre Hariovaldo resumiu toda a farsa.
Não ria, mas uma vez um desinformado me disse que a Folha é petista.  Será por que, de vez em quando, a Folha deixa escapar alguma notícia ruim para os amigos? Veja essa: Diretor da PF senta à mesa de réu do mensalão tucano em festa

O El País é petralha? Olha a manchete: Bancada da Bala, Boi e Bíblia impõe ano de retrocesso para mulheres e indígenas.  Quando as pessoas entenderão que não se deve votar em militar, empresário e pastor?

E agora, sobre o helicoca:
Juiz impede quebra de sigilo contra filho de Perrella

Envolvido no caso do helicoca é preso ao tentar enviar 246 kg de cocaína para a Espanha

Ainda bem que temos o mestre Hariovaldo para nos injetar otimismo: Alvorecer da Nova Era brilha primeiro em Honduras
Um povo que não conhece a própria história está condenado a repeti-la. É muito importante conhecer História e, particularmente, a história recente do país.
Olha que interessante essa edição do Jornal do Brasil, de 26 anos atrás, especialmente o artigo da página 5: Ex-diretoria da Embratur terá que devolver Cz$ 6,5 milhões

Certas escolhas não devem ser feitas como se escolhe um sabonete ou um perfume em uma prateleira de uma loja.  Quem vê cara, não vê coração.
Nada (ou tudo?) a ver com Malafaia e todos esses pastores bilionários típicos das Américas, mas consta em um livro antigo de certo povo distante que “... tais falsos apóstolos são obreiros fraudulentos, transfigurando-se em apóstolos de Cristo.  E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz".

Faz mais de dois anos que os caras publicaram http://lcmoura.blogspot.com.br/2015/06/nem-tudo-que-reluz-e-ouro.html

Cuidado com os rótulos de gestor, empresário, administrador, apolítico, democratas, patriotas, progressistas, novo, renovar, livres, força Brasil, pátria Brasil, Brasil livre, igualdade, solidariedade, rede, sustentabilidade, avante, podemos... Podem ser arapucas para pegar incautos, desinformados, gente que fugiu dos livros e da escola.

Mas, voltando à realidade de hoje, de agora, três notícias chamam bastante a atenção:

O colunista Luís Fernando Veríssimo lembra a corrupção dos militares, que não era investigada
Essa é boa para mostrar aos bolsomínions que pedem a volta do regime militar (corrupto, torturador, assassino). A matéria original é dO Globo, mas é necessário se cadastrar para lê-la.

Obscurantismo avança sobre as universidades brasileiras
Os primeiros setores a sofrer com a volta do fascismo são a cultura e a educação.

Lideranças evangélicas querem que Brasil siga EUA e transfira embaixada em Israel para Jerusalém
É lamentável como os picaretas do evangelho pretendem tornar o país uma teocracia a serviço do sionismo!

E esta é a última do Menino Malufinho:

Rejeição a Doria triplica e já chega a 39%

A ficha está caindo.  O município, o estado (enquanto unidade da federação) e o país não são empresas.  A sociedade precisa de governo, e não de administração.  Para quem não sabe, o Menino Malufinho, nascido em berço de ouro, teve seu primeiro emprego como diretor (que QI!) e, com a LIDE, não passa de um agente de encontros (você sabe para quê, não?) entre empresários e políticos.
A ideia não é combater esse espertalhão, mas apenas refletir sobre as escolhas que fazemos e as condições que nos obrigam a optar por elas.
Conhecer a História é fundamental.
Quem quiser saber mais sobre o prefake, basta ler o artigo do The Intercept: https://theintercept.com/2016/10/09/a-velha-nova-politica-de-joao-doria-junior/

Alvíssaras?

Comentários