Invasão Zumbi

Se você pensou que o título se refere às hordas de coxinhas fantasiadas de carteiros ou de jogadores da CBF, que tomaram as ruas desde 2013, manipulados pela nossa mídia golpista e sonegadora, então você está errado.
O título se refere a um dos melhores filmes de zumbi que já vi.  Fica atrás apenas dos clássicos de George Romero, “A Noite dos Mortos-Vivos” (Night of the Living Dead, 1968) e “Despertar dos Mortos” (Dawn of the Dead, 1978), além dos engraçadíssimos “Todo Mundo Quase Morto” (Shaun of the Dead, 2004) do inglês Edgar Wright e “Zumbilândia” (Zombieland, 2009) do Ruben Fleischer.  Equipara-se talvez a “Extermínio” (28 Days Later..., 2002) do inglês Danny Boyle (de “127 Horas”, “Quem Quer Ser um Milionário?” e “Trainspotting – Sem Limites”).  Também acho que foi a melhor estreia em dezembro, apesar de ficar apenas uma semana em cartaz por baixa bilheteria em alguns cinemas, talvez porque não seja de Hollywood.  A coxinhada preferiu “Rogue One: Uma História Star Wars”, aquela bobagem infanto-juvenil de sempre.
“Invasão Zumbi” (Train to Busan) é dirigido por Sang-ho Yeon, e conta o drama do relacionamento de um pai ausente tentando salvar sua filhinha do apocalipse zumbi que explode na Coréia do Sul. É ação que prende a atenção do começo ao fim, levando até à participação da plateia nos momentos de maior suspense.  Recomendo para quem gosta de cinema de verdade.

Feliz Ano Novo!

Comentários