sábado, setembro 17, 2016

Hibernação, criogenia, viagens espaciais e o mundo da lua



Como as distâncias interestelares são muito grandes, é virtualmente impossível que um viajante chegue vivo a outro planeta em outro sistema estelar.  Considerando a estrela mais próxima da Terra, fora do nosso sistema estelar, precisaríamos de 4 anos de viagem para alcança-la, mesmo viajando à velocidade da luz.  A maior velocidade que conseguimos atingir hoje, segundo a NASA, agência idolatrada pelo público infanto-juvenil, seria em torno de 40000 km/h.  A velocidade da luz, que é de 300000 km/s, é 27000 vezes maior (3600*300/40).  Com a velocidade atualmente disponível, demoraríamos então só 108 mil anos para chegar a um planeta do sistema Próxima (estrela Alfa da constelação do Centauro)!
Outro dado curioso, e má notícia para os vira-latas, é que na história da ficção científica e histórica, o americano L.Sprague de Camp escreveu uma série de contos denominada Viagens Interplanetarias (assim mesmo, sem acento e em português), sendo um deles o 'The Continent Makers', no qual o Brasil seria a nação mais poderosa da Terra após a 3a Guerra Mundial.  Mal sabia o inocente escritor do norte que este destino ficou seriamente comprometido quando o país caiu nas mãos atrasadas e corruptas do lulopetismo!  Porém, quem sabe, agora que a corrupção acabou e temos ordem e progresso novamente, esta profecia se realize, não? ;-)
Não poderia terminar o assunto sem citar os grandes mestres da ficção científica, em ordem de importância: Júlio Verne (Viagem à Lua), H.G.Wells (Máquina do Tempo), Edgard Rice Burroughs (John Carter, Tarzan), Philip Nowlan (Buck Rogers) e Alex Raymond (Flash Gordon). E, claro, o melhor dos piores filmes de ficção interplanetária: 'Plan 9 from outer Space' do Ed Wood, com o Bela Lugosi.
Em tempo, já que me lembrei dos vira-latas, toda a fantasia sobre walking dead e zombies começou com Edgard Rice Burroughs, Bram Stoker e, mais recentemente, Jack Finney e George Romero.  Para quem não entendeu a conexão, sugiro ler o conto 'O Flautista de Hamelin' dos irmãos Grimm. E o PowerPoint infanto-juvenil acima é uma referência a este abaixo.
http://www.diariodocentrodomundo.com.br/15-versoes-do-powerpoint-de-dallagnol-menos-ridiculas-que-o-original/
P.S.1: O peito do pé do Pedro é preto.  Não tenho provas, mas tenho convicção.
P.S.2: Cheguei há pouco do nordeste, lá de Canindé de São Francisco (Sergipe) e Piranhas (Alagoas).  Você sabe qual é a diferença entre o Serra e o jumento? O Serra é feio.

Um comentário:

Roberto S. Chiandotti disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Mídia golpista hoje

Domingo é dia de folhear os jornalões e tentar entender o que a máfia dos barões da mídia está querendo que a gente acredite. O Globo, en...