domingo, julho 17, 2016

Conservadorismo e entretenimento

Browsing a rede por sites progressistas, achei o http://www.ceert.org.br/ e me deparei com esse assunto. Embora particularmente não veja importância nas criações da Marvel, por serem infantilóides ou alienantes, achei interessante este artigo: http://www.ceert.org.br/noticias/genero-mulher/12392/mulher-negra-substituira-tony-stark-como-homem-de-ferro-nas-hqs
E achei ótima a resposta do roteirista que criou a Mulher de Ferro (assim como a Jessica Jones) sobre o conservadorismo das pessoas (inclusive jovens!):
 “Há fãs que dizem 'mostrem coisas novas' e há fãs que dizem 'não faça nada diferente do que tinha quando eu era criança'. Então, quando você está apresentando novos personagens, sempre vai ter gente ficando paranoica a respeito do fato de você estar arruinando a infância delas".
Lá de Patópolis, confesso que gostei do Demolidor e da Jessica Jones, mas fiquei surpreso mesmo foi com a ascensão do Bernie Sanders e com a sinceridade do congressista americano Alan Grayson: http://grayson.house.gov/index.php/newsroom/press-releases/435-grayson-s-statement-on-brazilian-president-s-impeachment

No mundo do entretenimento, a primeira quinzena de julho teve outros destaques:

O apresentador Datena, também conhecido nas redes sociais por Dapena, novamente esbraveja ao vivo em seu programa, como sempre faz ao ser criticado.  Dessa vez a briga é com o dramaturgo, autor de novelas da Globo, Aguinaldo Silva.  Este é autor de várias novelas e minisséries, das quais destaco Roque Santeiro, Tieta, e Bandidos da Falange.  Pode-se concordar ou não com o conteúdo de sua obra, mas é preciso reconhecer que tem qualidade.  Por outro lado, aquele apresentador usa um programa de baixo nível, em uma concessão pública de TV, para fazer propaganda ideológica e política mesmo fora do calendário eleitoral. Talvez uma das melhores descrições deste oportunista esteja no artigo do El País: Então, candidato Datena, vamos falar sobre São Paulo?


O historiador tucano Marco Antônio Villa, que também aparece às segundas-feiras no Jornal da Cultura (coitado do Airton Soares!), foi despedido da decadente revista Veja.  Quem terá mais obsessão por Lula? Villa ou aquele juiz de Curitiba? Como acho que não vale a pena se estender muito sobre questões de ódio, recomendo o artigo do DCM: a lógica da demissão de Villa da Veja.

Entretenimento é bom, mas dá para concluir que quanto menos conservador, menos preconceito e mais criatividade.



Nenhum comentário:

Mídia golpista hoje

Domingo é dia de folhear os jornalões e tentar entender o que a máfia dos barões da mídia está querendo que a gente acredite. O Globo, en...