A Liga da Justiça



Conforme o Estadão de sexta-feira passada, a ministra Rosa Weber suspendeu todas as ações de juízes contra jornalistas da ‘Gazeta do Povo’. Para quem não lembra, ela, seguindo o voto do nosso Batman, Joaquim Barbosa, condenou Dirceu sem provas dizendo: “Não tenho prova cabal contra Dirceu – mas vou condená-lo porque a literatura jurídica me permite”.
Para entender bem como funciona a Justiça, recomendo os seguintes links:
 
Uma justiça sem venda, sem balança, e só com a espada?
Judiciário brasileiro é o mais caro do ocidente
O custo da Justiça no Brasil: uma análise comparativa exploratória


Essa é uma pequena amostra, mas ilustra bem o que disse o jornalista uruguaio Eduardo Galeano: "a Justiça é como a víbora; só pica os pés descalços".

De fato, como disse em 2011 a então corregedora do CNJ, “o corporativismo ideológico favorece a infiltração de bandidos de toga”.  No ano seguinte, ela acrescentou: “juízes vagabundos estão infiltrados na magistratura”.  Quem não se lembra dos juízes João Carlos da Rocha Mattos e Nicolau dos Santos Neto? E daquele flagrado ao dirigir o Porsche do Eike Batista? E daquele que “se acha Deus” e mandou prender uma agente de trânsito?  E daquele juizão tucano citado na Lista de Furnas?
Apesar de existir alguns poderosos, alguns vagabundos e outros bandidos, a verdadeira causa-raiz da corrupção no Brasil, e no mundo, é a existência de empresários que compram o Judiciário, o Legislativo e o Executivo – estes dois últimos através do financiamento privado de campanhas eleitorais.  A mídia, que é possuída por esse grupo de empresários "patriotas" ávidos por sonegar e guardar dinheiro em paraísos fiscais, só expõe seletivamente os políticos corrompidos do Legislativo e do Executivo, isto é, somente aqueles não alinhados ideologicamente.
Para quem não gosta de ler, recomendo Sacco e Vanzetti e este documentário:
 




Comentários