Com que máscara o coxinha vai à Paulista hoje?

O coxinha walking dead e analfabeto político, que não lê e que fugiu das aulas de História, integrante da classe média branca, ignorante, hipócrita e preconceituosa, deve atender ao chamado da mídia canalha, tal qual os ratos hipnotizados pela flauta de Hamelin, vestidos naturalmente com o uniforme da CBF.  Ávidos por privilégios, mal sabem que terão os direitos trabalhistas confiscados pela elite econômica e pelo deus Mercado, a que tanto veneram ajoelhados em frente à FIESP e seu pato plagiado.  Coitados, caíram no conto do combate à corrupção ironicamente conduzido por 300 picaretas, sob a indiferença de um Judiciário partidarizado e acovardado. A máscara é o que menos importa, já que os ídolos dessa gente são sempre efêmeros, passageiros, como foram Fernando Collor, Demóstenes Torres, Joaquim Barbosa, Eduardo ("Somos Todos") Cunha, o japonês da Federal, e tantos outros atuais e por vir.

Comentários