domingo, novembro 09, 2014

Resenha da semana - Aceita que dói menos


A mídia golpista sofreu um forte revés com a reeleição de Dilma Rousseff.  Folha, Estado, Globo, Abril, Editora Três, Band, SBT, entre outros, fizeram de tudo para eleger Aécio Neves, trocando o jornalismo pelo proselitismo político-eleitoral.
A Folha, dissimulada, demitiu 25 jornalistas, entre os quais Fernando Rodrigues e Eliane Cantanhede, a 'colunista mais alinhada com o PSDB'.  É a mão pesada do Otavinho, cujo pai visitava o DOPS e financiava a OBAN, assim como os então presidentes da Ultragaz, do Grupo Ultra, do Bradesco e da FIESP nos anos 70, conforme revelou Carlos Eugênio da Paz, colega do Aloysio Nunes (vice do Aécio) no PCB e na ALN. Não deixe de ver o filme acima!
O Estadão continua com seus editoriais ressentidos e partidários, enquanto O Globo está preocupado, opinando que 'aumenta pressão sobre a imprensa no continente'.  Motivo: a mídia golpista teme a regulação da mídia, proposta por Dilma e também aprovada pela rainha Elisabeth II no Reino Unido.
Enquanto a Veja continua como linha auxiliar do PSDB, a IstoÉ assumiu-se de vez como porta-voz da extrema direita que agora envergonha os tucanos.
Luciano Costa fez um bom resumo da imprensa atual ao comentar sobre jornalistas e 'marronzinhos', no Observatório da Imprensa.
Só nos resta acompanhar as novidades através do jornalismo alternativo, como o Observatório da Imprensa, o Fazendo Media, o Luis Nassif Online, o Brasil247,  o PML, o DCM, o Poços 10 Notícias, o Portal Fórum, a Carta Maior, o Viomundo, entre outros, além dos chamados 'blogs sujos', como este aqui.

Nenhum comentário:

Mídia golpista hoje

Domingo é dia de folhear os jornalões e tentar entender o que a máfia dos barões da mídia está querendo que a gente acredite. O Globo, en...