Leitura de domingo

Os jornalões voltam a ficar animados com as últimas pesquisas que apontam para um segundo turno com Aécio, o plano A da direita, o candidato dos conservadores, dos reacionários.
A Falha e o DataFalha decretam: Dilma 44%, Aécio 26% e Marina 24%.  Diz que eleição chega ao primeiro turno com dúvida sobre quem enfrentará Dilma.  O que chama a atenção é o artigo segundo o qual “hegemonia do PSDB no interior deve garantir vitória”.  Para o paulista do interior não existe má gestão na SABESP, assalto a trem e metrô no trensalão de empresas multinacionais e governadores do PSDB, pedágios mais caros do mundo, segurança pública deficiente.  O servo da organização paracristã de direita Opus Dei, Picolé de Chuchu, deve se reeleger no primeiro turno.  Alternância de poder no estado, não.
O Estadão está todo serelepe com a pesquisa do Ibope mostrando que Aécio cresce, ultrapassa Marina, mas vaga no 2° turno fica indefinida. Diz ainda que Aécio sobe 5 pontos, sai do desânimo, ganha fôlego e volta ao jogo com chance real.  O cara de pau, recebido com tomates no próprio estado, disse que Dilma foi a MG por estar ‘assustada’.  Lá Dilma está na frente e Pimentel ganha no primeiro turno.  A má notícia é que Çerra está bem à frente de Suplicy na corrida ao senado.  Como o Zé Bolinha nunca cumpriu um mandato, é certo que, caso eleito senador, disputará a prefeitura da capital daqui a 2 anos.
O Globo acompanha os jornalões paulistas e faz campanha pelo playboy tucano através de seus colunistas, os sempre pelegos Merval, Miriam Leitão, Noblat.  Talvez a única informação que presta seja o artigo sobre o número de eleitores que compareceram para votar nas últimas eleições mundo afora.  Nós estamos atrás apenas da Índia, dos Estados Unidos e da Indonésia.
O pasquim fascista da Abril e da Naspers ficou sem bala de prata e mostra Marina e Aécio como a última esperança dos reacionários que ‘rejeitam a classe política e desejam mudança’.  E, claro, nos subtítulos insiste em ‘petrolão’ e Joaquim Barbosa, o ídolo dos coxinhas.  É preciso usar EPI (equipamento de proteção individual) para abrir esse folhetim porta-voz do obscurantismo.
A IstoÉ confirma que fareja o fim do jornalismo de esgoto da Abril e, como urubu, disputa seu público vil com uma guinada à direita, festejando virada de Aécio sobre Marina e presença do tucano no 2° turno, que seria a ‘hora da mudança’, quando o eleitor expressará o desejo de um Brasil melhor através do voto...em Aécio? Essa revista ‘endireitou’ mesmo com a saída do Paulo Moreira Leite em agosto, quando foi para o Brasil247.
A revista Época, imprensa rosa, também segue a linha conservadora das outras acima e revela que ‘Joaquim Barbosa foi convidado para vice de Aécio’. Isto aconteceu no final do ano passado, mas um colunista ex-Veja relembrou isto ontem, ao mesmo tempo em que Veja defende o ex-ministro do STF que teve registro de advogado negado pela OAB.  Por que será?
A CartaCapital, a única revista semanal independente, destaca que o trabalho escravo financiou 61 candidatos, entre os quais o único presidenciável financiado por empresas na ‘lista suja’ do Ministério do Trabalho é Aécio.  Nenhuma novidade, portanto.  Cabe aqui uma reflexão sobre reforma política e a proposta de financiamento público de campanhas político-eleitorais. É interessante e educativo também o artigo da Cynara Menezes sobre os ‘desertores das eleições’.
Já que citei a Cynara, destaco hoje seu blog.
Então é isso por hoje, companheirada:
#Dilma13PraVencer
#NaoVaiTer2oTurno

Comentários