sexta-feira, dezembro 06, 2013

Goodbye, Madiba!

Todo mundo se manifestou sobre a morte de Nelson Mandela, que liderou o Congresso Nacional Africano, partido afiliado à Internacional Socialista, na luta contra o regime de apartheid, até ser eleito presidente da África do Sul em 1994, após ter ficado 27 anos na cadeia. Mandela e seu partido permaneceram na lista americana de suspeitos de terrorismo até 2008, quando o mentiroso Bush finalmente assinou uma lei revogando essa estupidez.   Não foram apenas os ianques que apoiavam o regime de segregação racial que durou de 1948 a 1994.  A Inglaterra também.  A dama de ferro, Margaret Thatcher, recusou-se a impor sanções ao regime fascista da África do Sul, junto com Ronald Reagan em 1987.

A nossa mídia golpista, porta-voz da direita, também prestou homenagem a Mandela, cuja foto foi estampada hoje na primeira página da maioria dos jornais.  Até o Qwaack, aquele suposto agente da CIA, que sempre fala mal do Brasil todos os dias à meia-noite no Jornal da Globo, fez menção a Mandela.   Além de direitista, é fanfarrão.  Mas estou curioso mesmo é para ver a próxima capa da Veja, aquele pasquim que pratica jornalismo de latrina.  Afinal, a editora Abril é 30% controlada pelo grupo racista Naspers, imprensa marrom que praticou o mesmo parajornalismo que a Veja tem praticado aqui.  Ou seja, Naspers e Abril abandonaram o jornalismo para se converter em partido político.
Para que os alienados se informem, vejamos a seguir alguns pronunciamentos de Mandela que a direita faz de conta que não existiram.
Sobre um estado palestino: "A ONU tomou uma posição firme contra o apartheid, e ao longo dos anos, um consenso internacional foi construído, o que ajudou a por fim a este sistema iníquo. Mas nós sabemos muito bem que a nossa liberdade é incompleta sem a liberdade dos palestinos”.
Sobre os Estados Unidos e a invasão do Iraque: "Se há um país que cometeu atrocidades indescritíveis no mundo, este é os Estados Unidos da América. Eles não se importam com os seres humanos. Se você olhar para essas questões, você vai chegar à conclusão de que a atitude dos Estados Unidos da América é uma ameaça para a paz mundial. Tudo o que Bush quer é o petróleo iraquiano”.
Sobre Muamar Kadafi, seu apoiador de longa data: "É nosso dever dar apoio ao líder irmão... especialmente no que diz respeito às sanções que não estão atingindo apenas ele, mas as massas comuns do povo... nossos irmãos e irmãs africanos".
Sobre Fidel Castro e a revolução cubana: "Desde seus primeiros dias, a Revolução Cubana também tem sido uma fonte de inspiração para todas as pessoas que amam a liberdade. Admiramos os sacrifícios do povo cubano na manutenção da sua independência e soberania em face da perversa campanha orquestrada pelos imperialistas para destruir o ganho impressionante feito na Revolução Cubana... Viva a Revolução Cubana. Longa vida ao camarada Fidel Castro".
Sobre Israel: “Israel deve se retirar de todas as áreas que tomaram dos árabes em 1967 e, em particular, Israel deve se retirar completamente das Colinas de Golan, do sul do Líbano e da Cisjordânia”.

Vamos esperar então a capa do pasquim sionista para ver até onde vai a hipocrisia da direita.

Nenhum comentário:

Mídia golpista hoje

Domingo é dia de folhear os jornalões e tentar entender o que a máfia dos barões da mídia está querendo que a gente acredite. O Globo, en...