segunda-feira, abril 01, 2013

Golpe de 1964

Hoje a quartelada de 1964 faz 49 anos. Aquele primeiro de abril durou 21 anos. E foi apoiado politicamente pela ARENA, que mudou de nome como se troca de camisa: PDS, PFL, DEM, para resumir. Hoje uma dissidência deles se chama PSD, referência aos tempos em que a maioria deles militava na UDN. O golpe teve apoio de outros segmentos da sociedade, como a Igreja, a classe média conservadora, empresários da FIESP e intelectuais que hoje colaboram com o Instituto Millenium, sem mencionar os jornais Folha de S.Paulo e O Globo. Infelizmente alguns que combateram o regime fascista viraram casaca e hoje caminham junto aos golpistas, como é o caso de uma parcela do PSDB. Exemplo: serristas como o senador Aloysio Nunes, que segundo os sites de direita, foi motorista e guarda-costas do Marighella.  Por isso é muito importante conhecer o passado recente de nossa história e a biografia dos políticos que elegemos a cada 4 anos, sem se deixar levar pelo discurso ou pelos nomes que os partidos adotam.  Como sabemos, o DEM não tem nada de democrata, exceto pelo nome.  É o partido da direita, conservadora e reacionária, que "legitimou" o golpe militar ao longo daqueles 21 anos de trevas.  É preciso prestar atenção a seus companheiros do PSDB e do PPS, ex-Partidão - esse era o apelido do PCB, Partido Comunista Brasileiro, tomado por vira-casacas como Roberto Freire.

Nenhum comentário:

Mídia golpista hoje

Domingo é dia de folhear os jornalões e tentar entender o que a máfia dos barões da mídia está querendo que a gente acredite. O Globo, en...