Pérolas de janeiro

Dia 3, segunda-feira, o general José Elito Siqueira, ao tomar posse como chefe do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), disse que “nós não temos que nos envergonhar da existência dos desaparecidos políticos durante a ditadura militar”.  No dia seguinte foi repreendido pela presidenta e disse que foi mal interpretado.  Lamentável.  Lembrei-me na hora do que disse Groucho Marx: “military intelligence is a contradiction in terms”, ou seja, há uma contradição nos termos inteligência e militar.  Temos  que nos envergonhar sim, general!  E muito.  Embora devamos ficar de olho nesse milico, a asneira que ele disse me lembra novamente outra frase do Groucho: “I never forget a face, but in your case I'll be glad to make an exception".  Isto é, nunca esqueço um rosto, mas nesse caso ficarei contente de fazer uma exceção.
Na semana seguinte, terça-feira, dia 11, foi a vez do nosso governador, o Picolé de Chuchu, adepto do fundador da Opus Dei (“São” Josemaria Escrivá), dizer que “obras de combate às enchentes não ficam prontas em 24 horas”.  Para refrescar a nossa memória: Alckmin foi vice-governador de 1995 a 2001, governador de 2001 a 2006 e escolhido novamente para mais quatro anos.  E em 16, de 20 anos de PSDB no poder, será suficiente, governador?  Realmente não dá para acreditar na “pujança” (e ignorância política) paulista.

Comentários