O vale-tudo dos spams

Outro dia recebi outro spam político-eleitoral, agora com um filminho anexado, que talvez seja de autoria ou protagonização de um jurista ligado a Opus Dei, chamado de “professor” pelo remetente.  Disse talvez porque não vi o filme.  Só li o texto, em consideração ao amigo, que pretendia me alertar sobre o perigo de se votar na Dilma.  Não tenho dúvidas de que o amigo o fez na melhor das intenções - aconselhar com dedicação e boa-fé.
De forma franca, respondi que torço para que o tempo passe rápido e cheguemos logo a novembro.  Depois de ver o crescimento das intenções de voto no candidato da direita, arrazoei que a escolha popular seja lá qual for deve ser respeitada.  O povo deve exercer sua soberania.  E não faz parte do espírito democrático contestar a escolha popular quando essa for diferente da nossa própria escolha. Se o povo decidir aceitar o discurso difamatório e conspiratório, e fazer valer o voto por ignorância e por preconceito, então provavelmente esse destino já esteja escrito nas estrelas e teremos que passar por isto de qualquer forma, não é mesmo?
Infelizmente nós, brasileiros, temos memória curta e boa parte de nós desconhece mesmo o passado recente do país.  Muita gente faz escolhas incoerentes por ignorância.  Já citei o caso da pessoa que não votou na Dilma porque ela teria sido terrorista, mas votou no senador que foi motorista do Marighela.  Essa pessoa simplesmente desconhece quem foi Marighela, e tem a cabeça feita pela propaganda reacionária.
Esse foi mais um dos incontáveis spams contra a Dilma que recebi.  Por outro lado, não recebi nenhum spam contra o Serra.  E nem poderia, já que a central dos spams é formada por sites de extrema direita, mantida por ex-torturadores que temem a abertura dos arquivos da ditadura militar.  Eles acusam de terrorismo aqueles heróis que participaram da resistência, mas poupam e escondem os vira-casacas que hoje apóiam o antigo companheiro Serra.  Esse fugiu para Paris quando a luta recrudesceu por aqui.  E voltou bem diferente – nota 3,75 na Constituinte, conforme o DIAP.
De minha parte, reitero meu respeito pela escolha popular e estou contente por não enviar e nem encaminhar nenhum spam, e também não incomodar ninguém em sites de relacionamento.  Não faço proselitismo e sou contra a disseminação de preconceito e ódio.

Comentários