Até logo, Glauco

Quase não acreditei quando soube da morte do cartunista Glauco. As tirinhas dele na Folha eram uma das poucas coisas boas que restavam nesse jornal convertido em porta-voz da oposição conservadora. Assim como o Geraldão, a Dona Marta e outras tantas criações dele, ficamos todos órfãos, nós que éramos seus admiradores.
Minha homenagem ao Glauco é a lembrança da obra de Beto Guedes e Ronaldo Bastos, na voz do Milton Nascimento:
Quem souber dizer a exata explicação, me diz como pode acontecer
Um simples canalha mata um rei em menos de um segundo
Oh! Minha estrela amiga, porque você não fez a bala parar?

Comentários