sexta-feira, outubro 30, 2009

Minissaia expõe provincianismo de São Bernardo

Conforme noticiou ontem e hoje a grande imprensa, há cerca de uma semana uma estudante de Turismo da UNIBAN (Universidade Bandeirante de São Paulo) foi agredida verbalmente e ameaçada de estupro por trajar uma minissaia. A moça teve que sair da unidade de São Bernardo sob escolta da Polícia Militar, usando um jaleco emprestado por um professor, conforme mostram diversos vídeos obtidos por celulares e que foram parar na Internet.
Considerando-se as circunstâncias, pode-se até questionar a adequação e a estética daquela roupa, mas não vejo nenhuma justificativa para tanto alarme. Pelo uso da minissaia, a moça foi chamada de vagabunda e prostituta, entre outros termos. Ficou chocada com a reação dos colegas, como ficamos todos quando tomamos conhecimento dessa manifestação preconceituosa, retrógrada e reacionária.
É realmente lamentável que, em pleno século 21, jovens dentro de uma "universidade" demonstrem tal nível ideológico, cultural e até mesmo educacional. A mercantilização do ensino superior prestou mesmo um grande desserviço à cultura do país ao fomentar a abertura de faculdades caça-níqueis em qualquer esquina e que, pelo poder do dinheiro, se autodenominam universidades. Universidade significa pluralidade, diversidade, liberdade, tolerância. A universidade deve ser um celeiro de idéias e mentes arejadas, que não tem nada a ver com essa visão estreita e tacanha do conservadorismo provinciano do ABC.

Nenhum comentário:

Mídia golpista hoje

Domingo é dia de folhear os jornalões e tentar entender o que a máfia dos barões da mídia está querendo que a gente acredite. O Globo, en...