quinta-feira, outubro 15, 2009

Ao Mestre, Com Carinho

Em muitos países no mês de outubro se comemora o dia do professor. Na maioria deles a comemoração é no dia 5, que coincide com o dia mundial do professor. No Brasil, é hoje. Mas o que os professores podem comemorar aqui?
Antes da quartelada de 1964 o ensino era uma alternativa considerável para quem se graduasse nas chamadas ciências exatas, biológicas e humanas. Não era necessário seguir carreira dentro da universidade ou ir direto para o mercado de trabalho para exercer a profissão. Ser professor dava status e o salário não era aviltante. Hoje o professor não é mais referência. Perdeu valor e autoridade. Trabalha em condições precárias e tem um salário vergonhoso, conforme afirma a direção da APEOESP. E o aluno que chega ao ensino superior mal sabe ler e escrever, mal consegue efetuar uma simples operação aritmética sem o uso da calculadora eletrônica, e conseqüentemente não tem condições de articular idéias e de organizar o raciocínio. O que será do futuro?
Para a UNESCO a construção do futuro passa pelo investimento nos professores hoje. Senão, paixão e paciência não bastarão como chaves da eficácia do ensino. É preciso urgentemente entender e apoiar o professor, valorizá-lo e qualificá-lo.
Um certo educador, de nome Donald D. Quinn, afirmou que “se um médico, advogado, ou dentista tivesse 40 pessoas ao mesmo tempo em seu consultório, todas com diferentes necessidades, e algumas não quisessem estar lá e estivessem causando problemas, e o médico, advogado, ou dentista, sem ajuda, tivesse que tratá-las todas com excelência profissional durante um ano, então ele poderia ter alguma noção do que é o trabalho do professor na sala de aula”.
Em São Paulo, ao invés de diminuir o tamanho das turmas, o projeto demotucano mal consegue colocar estagiários para auxiliar os professores apenas no primeiro ano apesar da propaganda enganosa de que haveria dois professores em sala de aula. Em termos nacionais, segue a luta em defesa do ensino público, gratuito e de qualidade para todos, bandeira da UNE que contraria a determinação da direita de simplesmente vender o ensino.
Mestres, parabéns pelo seu dia, que não é apenas hoje, mas sim todos os dias do ano letivo somados aos dias dedicados a planejamento e toda sorte de burocracia.

Nenhum comentário:

Mídia golpista hoje

Domingo é dia de folhear os jornalões e tentar entender o que a máfia dos barões da mídia está querendo que a gente acredite. O Globo, en...