domingo, dezembro 14, 2008

Atestado ideológico

Ontem o AI-5 fez 40 anos. Em 13 de dezembro de 1968, Arthur da Costa e Silva editou o ato em represália a uma decisão da Câmara, por esta ter-se negado a dar uma licença para que o deputado Marcio Moreira Alves fosse processado em virtude de um discurso contrário às Forças Armadas. Este famigerado ato representou o total endurecimento do regime - veja os detalhes clicando no link.
Algumas pessoas podem me perguntar porque lembro disso. Outras associam minha lembrança à suposição de que eu seja petista "roxo", radical, comunista, ateu, e alguns outros adjetivos carregados de tons acusatórios e preconceituosos. Meus motivos:
As pessoas precisam conhecer a história porque "aqueles que não aprendem com a história estão condenados a repetí-la".
Vivi os últimos anos da quartelada de 1964. Por isso tenho nojo de toda e qualquer ditadura, seja de direita ou seja de esquerda, inclusive a ditadura do proletariado, que teoricamente nos levaria a um mundo mais justo.
Tive uma educação cristã. E ainda acho que é mais fácil para um camelo ou uma corda passar pelo buraco de uma agulha do que um rico ou um opressor entrar no céu.
É incrível, mas até hoje a sociedade brasileira, conscientemente ou não, ainda coloca rótulos e cobra os tais atestados ideológicos. Para saber o motivo, só mesmo conhecendo a nossa história.

Nenhum comentário:

Mídia golpista hoje

Domingo é dia de folhear os jornalões e tentar entender o que a máfia dos barões da mídia está querendo que a gente acredite. O Globo, en...