Cinema: Tim Burton e Johnny Depp

É interessante notar como os diretores transmitem a seus filmes uma espécie de impressão digital, marca registrada. Muitas vezes basta ver determinado ator ou atriz e algumas cenas que já sabemos quem é o diretor. As vezes não é o diretor que a gente imaginava, mas é um outro seguindo seu estilo, lhe prestando uma homenagem, citando-o. Há diversos exemplos. Mas me ocorre agora comentar sobre Tim Burton. Já fiquei fã de seu estilo sombrio, macabro, bizarro... Seus filmes têm uma atmosfera sinistra, um visual meio gótico meio kitsch, e sempre aquele humor negro inconfundível. Isso é bastante nítido nos filmes que ele fez com o Johnny Depp: "Edward Mãos de Tesoura" (Edward Scissorhands, 1990), "Ed Wood" (1994), "A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça" (Sleepy Hollow, 1999), "A Fantástica Fábrica de Chocolate" (Charlie and the Chocolate Factory, 2005) e "A Noiva Cadáver" (Corpse Bride, 2005). E gostaria de citar também outros cinco filmes em que o Johnny Depp não atuou, mas que são característicos de Tim Burton: "Beetle Juice - Os Fantasmas se Divertem" (Beetle Juice, 1988), "Batman - O Filme" (Batman, 1989), "Batman - O Retorno" (Batman Returns, 1992), "Marte Ataca!" (Mars Attacks!, 1996) e "Peixe Grande e Suas Histórias Maravilhosas" (Big Fish, 2003). Tim Burton afirmou certa vez que para ele "filmes são como uma forma cara de terapia". Eu diria que para mim os filmes são uma forma barata de terapia. Sem dúvida, Tim Burton é um diretor genial.

Comentários