Falou, companheiro!


Ao ouvir o pronunciamento do presidente em cadeia de rádio e TV na última quinta, achei que tinha que escrever algo a respeito. Mas também achei melhor observar a reação à sua fala, para ponderar os prós e os contras. Tenho evitado abordar política aqui. Não sei se é o certo. Muitos blogs especializaram-se neste campo. Segundo a imprensa, nos Estados Unidos os blogs políticos já são tão importantes quanto a própria mídia tradicional. Talvez os amigos possam me ajudar a decidir se devo comentar mais política neste espaço. Quem me conhece sabe que sou democrata. Que não cheguei a lutar, mas torci pelo fim da ditadura que se instalou aqui durante a quartelada de 1° de abril de 1964. Entrou para a história como 31 de março para não ficar associada ao dia da mentira. E, claro, não me simpatizo com aqueles que se calaram e tampouco com os que foram seus moleques de recado. Também não é por isso que ponho a mão no fogo por quem a combateu. Em todos os casos, estes têm a minha simpatia. Mas voltemos ao tema inicial.
Na sexta pela manhã ouvi os comentaristas da Rádio Jovem Pan, que criticaram o pronunciamento. Nenhuma novidade. Não sei porque essa emissora tão destacada dá espaço a gente tão retrógrada. Prefiro nem citar nomes, para não promovê-los também, mas tem gente ligada até à Opus Dei! Só não mudei de estação porque não conheço outra emissora jornalisticamente tão inovadora. A impressão que me dá ouvindo aquelas pessoas é de que abri o Estadão e o Jornal da Tarde. A tinta que eles usam me fazem torcer o nariz...
Hoje o editorial da Folha - "Lula na TV", se não é simpático, está bem neutro e equilibrado - é por isso que a assino faz muitos anos. Ela destaca a fala do presidente: "... feliz do país que tem uma imprensa livre e democrática que a tudo pode acompanhar, fiscalizar e investigar."
Critiquei quando o Fernando Henrique aliou-se ao PFL para governar, e encaro da mesma forma o fato do Lula chamar o PTB, o PL e o PP para compor a base governista. Mas tenho que concordar com o Genoíno que "nenhum presidente vai governar sem ter maioria no Congresso". Na minha opinião, a melhor aliança para o país seria entre PT e PSDB. Usando as palavras do presidente, espero que tenham maturidade para corrigir seus próprios erros.

Comentários